Jornal Correio de Notícias

Abstenção foi a maior registrada

E-mail Imprimir
 Brasília - A abstenção do segundo turno das eleições, quando Dilma Rousseff foi eleita a primeira mulher presidente do Brasil, foi a mais alta registrada em votações para presidente desde o fim do regime militar, em 1985.
Apesar de o voto ser obrigatório, 29,2 milhões dos 135,8 milhões de eleitores cadastrados se abstiveram comparecer, o que representa 21,5% do total, segundo dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com 99,96% das urnas apuradas. O número de abstenções representa pouco mais da metade dos 55,7 milhões de votos (56,05% do total) recebidos por Dilma no segundo turno. A abstenção deste domingo supera a de 20,46% registrada no segundo turno das eleições de 2002, quando Lula venceu José Serra, o mesmo candidato derrotado neste domingo por Dilma, e que era a maior registrada em eleições presidenciais no país. No primeiro turno da votação deste ano, no último dia 3 de outubro, a abstenção foi de 18%. No discurso direcionado a correligionários e apoiadores, Dilma lembrou ainda que na véspera havia visitado Minas Gerais, onde nasceu, e no dia de sua vitória se encontrava no Estado onde construiu os alicerces de sua vida pública.
 
Última atualização ( Sáb, 06 de Novembro de 2010 12:44 )  

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital