Jornal Correio de Notícias

Transtorno de identidade de gênero não tratado pode conduzir a tentativa de suicídio

E-mail Imprimir

Risco de tentativa de suicídio chega a 50% dos pacientes, o que reforça a importância do diagnóstico correto e tratamento, que deve ser multidisciplinar; especialista da SBEM-PR responde às principais dúvidas no consultório de endocrinologia sobre o tema

Uma pessoa que não se identifica com o sexo que nasceu enfrenta um processo de grande angústia, ansiedade e frustração, até que receba um acompanhamento adequado. O tratamento do transtorno de identidade de gênero, no sentindo de promover uma melhor aceitação pessoal, pode contribuir para reduzir o risco de suicídio, que chega a 50% dos pacientes.

“A Conduta no Transtorno de Identidade de Gênero” será abordado durante a 11ª edição do EndoSul – Congresso de Endocrinologia e Metabologia da Região Sul. Os especialistas convidados para falar sobre o tema são os endocrinologistas Emerson Cestari Marino (PR) e Elaine Frade Costa (SP), juntos com a psicóloga Fernanda Bonato (PR). Organizado pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Regional Paraná (SBEM-PR), o EndoSul 2017 acontecerá nos dias 4, 5 e 6, na Associação Médica do Paraná.

A intervenção médica em jovens transexuais é eficiente? Quais os efeitos deletérios da terapia hormonal ao metabolismo? Quais são os riscos de não oferecer ao paciente a possibilidade para fazer a mudança de gênero? O endocrinologista Emerson Cestari Marino, membro da SBEM-PR, respondeu algumas das perguntas frequentes no consultório de endocrinologia.

Como deve ser a conduta no tratamento do transtorno de identidade de gênero?

Dr. Emerson Marino Cestari - O tratamento é multidisciplinar, envolvendo principalmente psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais, endocrinologistas, ginecologistas e urologistas, com uma abordagem geral do paciente, desde o aspecto psicológico ao tratamento de comorbidades comuns e tratamento hormonal.

Quais os principais desafios para os profissionais envolvidos?

Dr. Emerson Marino Cestari - Os principais desafios são fazer o diagnóstico correto da situação do indivíduo que busca o atendimento, indicar a terapia e medicamentos corretos, agir na prevenção de complicações, atentar aos efeitos colaterais de medicamentos, auxiliar na aceitação pessoal, identificar quadros psiquiátricos, principalmente depressivos e risco de suicídio.

No consultório como são as etapas de atendimento ao paciente, até que seja possível fazer a cirurgia de redesignação sexual?

Dr. Emerson Marino Cestari - O diagnóstico é feito pelo psiquiatra, passando pela psicoterapia e avaliando a elegibilidade para o tratamento hormonal, após 6 meses de acompanhamento. Quando o indivíduo passa a ser elegível, ele inicia o tratamento hormonal, que deve ser de no mínimo 2 anos, para então poder se submeter a cirurgia de redesignacão sexual.

Porque é importante tratar o paciente com este transtorno?

Dr. Emerson Marino Cestari - É importante tratar estes indivíduos visando melhor aceitação pessoal e social, assim como prevenir mortalidade e comorbidades, dentre elas as tentativas de suicídio, que chega a 50% dos pacientes.

A terapia hormonal pode ser adotada em indivíduos jovens?

Dr. Emerson Marino Cestari - As normas de tratamento para maiores de 18 anos são bastante claras para a indicação, porém para menores de idade, em nosso país, é ambígua, devendo ser avaliada caso a caso. Entidades como a Endocrine Society preconizam bloqueio puberal a partir do estadio 2, até o indivíduo completar 16 anos e poder ter seu diagnóstico firmado com certeza, sendo tratado com hormônios sexuais a partir desta idade.

Quais efeitos desse tratamento no metabolismo?

Dr. Emerson Marino Cestari - O tratamento hormonal pode levar a efeitos no metabolismo lipídico, alterações nas concentrações de glóbulos vermelhos, aumento de risco de eventos tromboembólicos e cardiovasculares (Trombose venosa / Infarto do miocárdio/ AVC), alterações no fígado e principalmente na função reprodutiva.

SERVIÇO
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Paraná | SBEM-PR

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Av. República Argentina, 369, cj. 1101, 11º andar,
Água Verde, Curitiba/PR CEP: 80240-210
Fone: (41) 3343-5338
www.sbempr.org.br| www.facebook.com/sbemparana

 

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital