Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Fala Leitor | O impacto da negociação na vida pessoal e profissional

O impacto da negociação na vida pessoal e profissional

E-mail Imprimir
Patrícia Lisboa - Head Trainer e Hacker Comportamental *
Negociar bem não é dom, é aprendizado. É claro que algumas pessoas têm mais facilidade do que outras para essa prática, mas é fato que qualquer pessoa pode se capacitar para isso. Na realidade, grande parte das interações cotidianas são uma série de negociações com outras pessoas. Estamos negociando quando definimos com os amigos o que fazer no sábado à noite, por exemplo, ou acertamos com a família quem irá pagar as contas de casa, ou com um colega de trabalho quem vai realizar uma determinada tarefa.
Essa prática faz parte do nosso dia a dia, mas, por fazemos tão naturalmente, nem sempre percebemos. Quando conseguimos identificar isso e, principalmente, quando trabalhamos a negociação, temos mais chances de ser bem-sucedidos e alcançar os resultados esperados, tanto no meio profissional quanto no pessoal.
Quando compreendemos a negociação como um processo de persuasão e de tomada de decisões entre dois ou mais atores na busca pela solução de um problema em comum ou de barganha sobre algo, conseguimos trabalhá-la a nosso favor. Principalmente, porque existem técnicas para isso. Aprender a utilizar essa metodologia a fim de criar ou reivindicar valor em meio a processos comerciais ou mesmo pessoais é um diferencial para qualquer pessoa, especialmente em um mundo cada vez mais competitivo. Essa habilidade deve ser praticada sempre que possível, sobretudo para evitar conflitos.
Além dos métodos para se trabalhar a negociação, a pessoa precisa compreender que, para o sucesso de qualquer interação bem-sucedida, é importante que haja transparência. Somente ao colocar na mesa os interesses de todos os envolvidos é possível maximizar o resultado para ambas as partes. O planejamento também é fundamental para os bons resultados de uma negociação. Um bom negociador aprende mais sobre seu interlocutor e consegue definir, de antemão, os objetivos e os limites que podem ser alcançados ao longo do processo.
Outro ponto importante é saber ouvir ativamente. Atentar para as necessidades, objetivos e posições do outro. Escutar o outro com atenção permite identificar oportunidades para argumentar e, principalmente, para oferecer soluções criativas e objetivos, que podem ser ainda melhores do que as imaginadas previamente.
Quem aprende a negociar com técnica e respeito ao outro é capaz de trabalhar as informações de forma mais prática e direcionada. Sabe argumentar, se posicionar e mostrar as melhores opções. A pessoa que consegue fazer isso naturalmente atinge o objetivo esperado, consegue ter um resultado positivo.
Negociar é técnica, é estudo, é treino. É descobrir habilidades e aprender a trabalhá-las em favor de si mesmo e do outro. Em casa, no trabalho, em qualquer lugar.
-----------------------
* Patrícia Lisboa é consultora especializada em comunicação e no desenvolvimento de líderes, equipes e carreirasPatrícia Lisboa - Head Trainer e Hacker Comportamental *

Negociar bem não é dom, é aprendizado. É claro que algumas pessoas têm mais facilidade do que outras para essa prática, mas é fato que qualquer pessoa pode se capacitar para isso. Na realidade, grande parte das interações cotidianas são uma série de negociações com outras pessoas. Estamos negociando quando definimos com os amigos o que fazer no sábado à noite, por exemplo, ou acertamos com a família quem irá pagar as contas de casa, ou com um colega de trabalho quem vai realizar uma determinada tarefa.

Essa prática faz parte do nosso dia a dia, mas, por fazemos tão naturalmente, nem sempre percebemos. Quando conseguimos identificar isso e, principalmente, quando trabalhamos a negociação, temos mais chances de ser bem-sucedidos e alcançar os resultados esperados, tanto no meio profissional quanto no pessoal.

Quando compreendemos a negociação como um processo de persuasão e de tomada de decisões entre dois ou mais atores na busca pela solução de um problema em comum ou de barganha sobre algo, conseguimos trabalhá-la a nosso favor. Principalmente, porque existem técnicas para isso. Aprender a utilizar essa metodologia a fim de criar ou reivindicar valor em meio a processos comerciais ou mesmo pessoais é um diferencial para qualquer pessoa, especialmente em um mundo cada vez mais competitivo. Essa habilidade deve ser praticada sempre que possível, sobretudo para evitar conflitos.

Além dos métodos para se trabalhar a negociação, a pessoa precisa compreender que, para o sucesso de qualquer interação bem-sucedida, é importante que haja transparência. Somente ao colocar na mesa os interesses de todos os envolvidos é possível maximizar o resultado para ambas as partes. O planejamento também é fundamental para os bons resultados de uma negociação. Um bom negociador aprende mais sobre seu interlocutor e consegue definir, de antemão, os objetivos e os limites que podem ser alcançados ao longo do processo.

Outro ponto importante é saber ouvir ativamente. Atentar para as necessidades, objetivos e posições do outro. Escutar o outro com atenção permite identificar oportunidades para argumentar e, principalmente, para oferecer soluções criativas e objetivos, que podem ser ainda melhores do que as imaginadas previamente.

Quem aprende a negociar com técnica e respeito ao outro é capaz de trabalhar as informações de forma mais prática e direcionada. Sabe argumentar, se posicionar e mostrar as melhores opções. A pessoa que consegue fazer isso naturalmente atinge o objetivo esperado, consegue ter um resultado positivo.

Negociar é técnica, é estudo, é treino. É descobrir habilidades e aprender a trabalhá-las em favor de si mesmo e do outro. Em casa, no trabalho, em qualquer lugar.

-----------------------
* Patrícia Lisboa é consultora especializada em comunicação e no desenvolvimento de líderes, equipes e carreiras
Negociar bem não é dom, é aprendizado. É claro que algumas pessoas têm mais facilidade do que outras para essa prática, mas é fato que qualquer pessoa pode se capacitar para isso. Na realidade, grande parte das interações cotidianas são uma série de negociações com outras pessoas. Estamos negociando quando definimos com os amigos o que fazer no sábado à noite, por exemplo, ou acertamos com a família quem irá pagar as contas de casa, ou com um colega de trabalho quem vai realizar uma determinada tarefa.

Essa prática faz parte do nosso dia a dia, mas, por fazemos tão naturalmente, nem sempre percebemos. Quando conseguimos identificar isso e, principalmente, quando trabalhamos a negociação, temos mais chances de ser bem-sucedidos e alcançar os resultados esperados, tanto no meio profissional quanto no pessoal.

Quando compreendemos a negociação como um processo de persuasão e de tomada de decisões entre dois ou mais atores na busca pela solução de um problema em comum ou de barganha sobre algo, conseguimos trabalhá-la a nosso favor. Principalmente, porque existem técnicas para isso. Aprender a utilizar essa metodologia a fim de criar ou reivindicar valor em meio a processos comerciais ou mesmo pessoais é um diferencial para qualquer pessoa, especialmente em um mundo cada vez mais competitivo. Essa habilidade deve ser praticada sempre que possível, sobretudo para evitar conflitos.

Além dos métodos para se trabalhar a negociação, a pessoa precisa compreender que, para o sucesso de qualquer interação bem-sucedida, é importante que haja transparência. Somente ao colocar na mesa os interesses de todos os envolvidos é possível maximizar o resultado para ambas as partes. O planejamento também é fundamental para os bons resultados de uma negociação. Um bom negociador aprende mais sobre seu interlocutor e consegue definir, de antemão, os objetivos e os limites que podem ser alcançados ao longo do processo.

Outro ponto importante é saber ouvir ativamente. Atentar para as necessidades, objetivos e posições do outro. Escutar o outro com atenção permite identificar oportunidades para argumentar e, principalmente, para oferecer soluções criativas e objetivos, que podem ser ainda melhores do que as imaginadas previamente.

Quem aprende a negociar com técnica e respeito ao outro é capaz de trabalhar as informações de forma mais prática e direcionada. Sabe argumentar, se posicionar e mostrar as melhores opções. A pessoa que consegue fazer isso naturalmente atinge o objetivo esperado, consegue ter um resultado positivo.

Negociar é técnica, é estudo, é treino. É descobrir habilidades e aprender a trabalhá-las em favor de si mesmo e do outro. Em casa, no trabalho, em qualquer lugar.

Patrícia Lisboa - consultora especializada em comunicação e no desenvolvimento de líderes, equipes e carreiras
 

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital