Jornal Correio de Notícias

Tortura

E-mail Imprimir
A repulsa à tortura traduz a afirmação de que todo ser humano tem o direito de ser reconhecido como pessoa.
Não por coincidência, mas por fidelidade doutrinária, a proscrição da tortura e o reconhecimento de todo ser humano como pessoa aparecem lado a lado, na Declaração Universal dos Direitos Humanos:  artigos 5 e 6.
Trava-se nos dias de hoje uma luta universal contra a tortura.
No Brasil, inúmeros grupos de Direitos Humanos têm tido extrema sensibilidade para com o problema.
Centros de Defesa de Direitos Humanos, Comissões de Justiça e Paz, Conselhos Seccionais e Comissões de Direitos Humanos das OABs, Pastorais Carcerárias têm vigilado e denunciado com veemência a prática da tortura nos presídios.
É preciso resguardar os Direitos Humanos. É preciso proteger o povo dos mais diversos atos de violência.  Os dois objetivos são complementares.  Não se combate a violência com mais violência, prepotência e arbítrio.
João Baptista Herkenhoff, Juiz de Direito (ES) e escritor.A repulsa à tortura traduz a afirmação de que todo ser humano tem o direito de ser reconhecido como pessoa.
Não por coincidência, mas por fidelidade doutrinária, a proscrição da tortura e o reconhecimento de todo ser humano como pessoa aparecem lado a lado, na Declaração Universal dos Direitos Humanos:  artigos 5 e 6.
Trava-se nos dias de hoje uma luta universal contra a tortura.
No Brasil, inúmeros grupos de Direitos Humanos têm tido extrema sensibilidade para com o problema.
Centros de Defesa de Direitos Humanos, Comissões de Justiça e Paz, Conselhos Seccionais e Comissões de Direitos Humanos das OABs, Pastorais Carcerárias têm vigilado e denunciado com veemência a prática da tortura nos presídios.
É preciso resguardar os Direitos Humanos. É preciso proteger o povo dos mais diversos atos de violência.  Os dois objetivos são complementares.  Não se combate a violência com mais violência, prepotência e arbítrio.
João Baptista Herkenhoff, Juiz de Direito (ES) e escritor.
A repulsa à tortura traduz a afirmação de que todo ser humano tem o direito de ser reconhecido como pessoa.
Não por coincidência, mas por fidelidade doutrinária, a proscrição da tortura e o reconhecimento de todo ser humano como pessoa aparecem lado a lado, na Declaração Universal dos Direitos Humanos:  artigos 5 e 6.
Trava-se nos dias de hoje uma luta universal contra a tortura.
No Brasil, inúmeros grupos de Direitos Humanos têm tido extrema sensibilidade para com o problema.
Centros de Defesa de Direitos Humanos, Comissões de Justiça e Paz, Conselhos Seccionais e Comissões de Direitos Humanos das OABs, Pastorais Carcerárias têm vigilado e denunciado com veemência a prática da tortura nos presídios.
É preciso resguardar os Direitos Humanos. É preciso proteger o povo dos mais diversos atos de violência.  Os dois objetivos são complementares.  Não se combate a violência com mais violência, prepotência e arbítrio.
João Baptista Herkenhoff, Juiz de Direito (ES) e escritor
 

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital