Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Esportes

Especiais

Inadimplência desacelera em 2016 e fecha dezembro com 58,3 milhões de brasileiros negativados

Em 2016, o PIB brasileiro caiu pela segunda vez consecutiva e no último trimestre ajustes começaram a ser realizados para que o país consiga sair da crise. Ainda assim, 2017 inicia com uma conjuntura econômica em recessão. Diante desse quadro, o número de negativados cresceu, alcançando 58,3 milhões de consumidores em dezembro de 2016, segundo estimativa do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Apesar de expressivo, o número mostra uma desaceleração da taxa de crescimento da inadimplência. Em janeiro de 2016, a estimativa era de 57,6 milhões de consumidores, o que mostra um aumento de 700 mil casos ao longo do ano. No mesmo período de 2015, porém, o aumento foi de 2,5 milhões.
O dado revela que 39% da população brasileira adulta está registrada em listas de inadimplentes, enfrentando dificuldades para realizar compras a prazo, fazer empréstimos, financiamentos ou contrair crédito. “A explicação para a desaceleração do crescimento da inadimplência desde o primeiro trimestre do ano reside no fato de que o próprio cenário de recessão da economia, que reduziu a capacidade de pagamento das famílias, também restringiu a tomada de crédito por parte dos consumidores”, afirma o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro. “Isso quer dizer que o consumidor encontra mais dificuldade para se endividar e, sem se endividar, não pode ficar inadimplente”, explica.


Queda da inadimplência na variação mensal

Apesar do crescimento do número de negativados no acumulado de 2016, o dado de dezembro ficou abaixo do observado em novembro. O indicador mensal de devedores apresentou um recuo de -0,41%. Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, “o movimento é típico da época, que concentra o pagamento de direitos como o décimo terceiro. A injeção desse recurso na economia é uma oportunidade para o consumidor com dívidas quitar suas pendências.”
Já na comparação entre 2016 e 2015, o indicador avançou 1,44% - a menor variação para um ano desde o início da série histórica. “O dado confirma a tendência de desaceleração da inadimplência observada desde o primeiro trimestre de 2016”, afirma Kawauti.

Sudeste concentra maior número absoluto de inadimplentes

De acordo com o indicador, a região Sudeste concentra o maior número absoluto de consumidores negativados no país: 24,23 milhões de brasileiros, o que representa 37,3% da população adulta da região. A segunda região com maior número absoluto de devedores é o Nordeste, que conta com 15,74 milhões de negativados, ou 39,7% da população. Em seguida, aparecem o Sul, com 7,96 milhões de inadimplentes (35,8% da população adulta), o Norte, com 5,34 milhões de devedores (46,0% do total da população residente) e o Centro-Oeste, que por sua vez, aparece com um total de 4,99 milhões de inadimplentes, ou 43,8% da sua população. 

Quase metade da população entre 30 e 39 anos está negativada

A estimativa por faixa etária revela que é entre os 30 e 39 anos que se observa a maior frequência de negativados. Em dezembro, quase metade da população nesta faixa etária (49,38%) tinha o nome inscrito em alguma lista de devedores - um total de 16,81 milhões. Também merece destaque uma porcentagem significativa da população com idade entre 25 e 29 anos (46,65%) estar negativada, assim como os consumidores com idade entre 40 e 49 anos (46,24% em situação de inadimplência).
Entre os mais jovens, com idade entre 18 e 24 anos, a proporção cai para 19,38% - em número absoluto, 4,63 milhões. Já a população idosa, considerando-se a faixa etária entre 65 a 84 anos, a proporção é de 29,50%, o que representa 4,58 milhões de pessoas. 


Número de dívidas diminuem 2,24% em novembro

O indicador do SPC Brasil e da CNDL também analisa o volume de dívidas em nome de pessoas físicas. Neste caso, a variação negativa foi de -2,24%na comparação anual - dezembro de 2016 frente ao mesmo mês de 2015.
O setor de comunicação, que engloba atrasos em contas de telefonia, internet e TV por assinatura, foi o que mostrou a maior queda de dívidas em dezembro. Na comparação anual, as pendências de pessoas físicas com o setor caíram -17,77%. Os atrasos no comércio apresentaram uma retração de -3,90% e as dívidas bancárias, que contemplam atrasos no cartão de crédito, financiamentos, empréstimos e seguros, cresceram +0,78%. O setor que apresentou a maior alta foi o de água e luz, cujo crescimento foi de 13,62%, também na variação anual.
Em termos de participação, considerando-se mais uma vez o total do Brasil,os bancos concentram a maior parte das dívidas existem no país: 48,26%. Em seguida, aparece o Comércio, com 20,04% desse total; o setor de Comunicação (13,07%) e o de Água e Luz, concentrando 8,55% do total de pendências.


Metodologia

O indicador de inadimplência do consumidor sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados às quais o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) têm acesso. As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação.

 

RGE dá dicas para executar reformas prediais com segurança

Com o orçamento doméstico “engordado” pelo pagamento da segunda parcela do 13º salário, muitas famílias optam por usar parte do dinheiro para reformar o imóvel. É hora de trocar aquela antena velha, a cobertura da garagem ou fazer uma pintura nova na fachada. A chegada do 13º salário também contribui para que o comerciante busque formas de atrair o cliente. Investe-se num novo painel luminoso ou na reforma da frente do estabelecimento. Além de cuidar da rede elétrica interna, evitando assim problemas como choques, curtos-circuitos e até incêndios, é preciso estar atento ao executar obras, principalmente quando o trabalho de reforma é realizado nas proximidades da rede elétrica.

Quer a reforma seja feita pelo próprio proprietário ou por profissionais contratados, é preciso estar atento a medidas de segurança.Não são raras as ocorrências de acidentes, muitas vezes até fatais, envolvendo proprietários de imóveis e até mesmo profissionais da construção civil, antenistas e pintores que, no exercício de suas funções, são vítimas de choque elétrico por se aproximarem, ou colocarem suas ferramentas e equipamentos em contato com a rede energizada. Em muitos casos, não é preciso nem encostar nos fios para sofrer uma descarga.

Anualmente, as distribuidoras do Grupo CPFL Energia realizam palestras para trabalhadores da construção civil devido ao alto índice de acidentes do setor. Realiza também uma Campanha Externa de Prevenção de Acidentes de origem elétrica (CEPAE), promovendo a conscientização e o espírito prevencionista para a população e educando com dicas e atitudes seguras. Além disso, as empresas distribuem material impresso com orientações sobre como proceder com segurança em atividades ligadas à construção ou manutenção predial, dentro de casa e outras próximas à rede elétrica, situações onde acontece a maior parte dos acidentes.

Para evitar acidentes, o principal passo é planejar todo o trabalho cuidadosamente, observando sempre a localização da rede elétrica e o tipo de material que será utilizado. Use todos os EPIs e certifique-se de nunca movimentar antenas, vergalhões, telhas de metal ou cabos de rolo de pintura nas proximidades do sistema elétrico. Fique atento e tome cuidado com a instalação de andaimes.

Sempre que for executar algum serviço na fachada do imóvel, avise a distribuidora de energia local e observe as dicas de segurança existentes no site http://www.rge-rs.com.br/atendimento-a-consumidores/seguranca/dicas-de-seguranca/Paginas/default.aspx. Também é possível comunicar a RGE da execução de algum serviço em local de risco. O aviso pode ser feito pelo fone 0800 970 0900, e dessa forma receber apoio dos técnicos da empresa.

Veja dicas para evitar acidentes em diversos ambientes:

Segurança com antenas

  • ·         Quando houver rede elétrica nas proximidades, a instalação de antena deve ser efetuada por profissional qualificado e experiente, e fique de olho nos procedimentos de segurança;
  • ·         Nunca instale a antena próxima a para-raios, nem interligue o cabo da antena aos condutores elétricos;
  • ·         Jamais arremesse o cabo utilizado para ligações de antenas sobre a rede elétrica, mesmo que este seja encapado, pois a capacidade de isolamento do cabo não é suficiente para evitar a passagem da eletricidade existente nas redes elétricas;
  • ·         Marquises de edifícios comerciais ou residenciais jamais devem servir para instalação de antenas devido à proximidade das redes elétricas;
  • ·         Ao manusear a haste da antena de TV, a pessoa não deve se aproximar ou tocar na rede elétrica;
  • ·         Instale a antena preferencialmente do lado oposto ao da fiação.

Dentro de casa

  • ·         Não deixar a fiação ao alcance das crianças;
  • ·         Não utilizar extensões para alimentação de vários aparelhos;
  • ·         Não mexer no chuveiro ligado;
  • ·         Usar protetoras nas tomadas, evitando que objetos sejam introduzidos nas mesmas por crianças;
  • ·         Redobrar a atenção no uso de equipamentos elétricos em ambientes úmidos ou molhados.

Manutenção predial

  • ·         Ao manusear barras de ferro, perfilados de alumínio, telhas, calhas e outros matérias, certifique se constantemente para que as pontas não se aproximem das redes elétricas;
  • ·         Na construção ou manutenção predial mantenha distância segura ao manobrar equipamentos, ferramentas e outros materiais;
  • ·         Procure planejar a colocação de andaimes e sinalize corretamente quando da proximidade da rede elétrica;
  • ·         Certificar-se de que as instalações não estão danificadas, com “gambiarras” e adequadas à carga elétrica;
  • ·         Em local molhado, certifique se o equipamento é adequado para esta condição e atenção especial para os cabos de ligação;
  • ·         Ao trocar uma lâmpada, desligue a energia elétrica e nunca toque na parte interna do bocal (soquete). Segure somente pelo vidro;
  • ·         Quando um fusível derreter ou fundir, nunca o substitua por moedas, arames, fios de cobre, de alumínio ou qualquer outro objeto. Desligue imediatamente a chave e procure saber qual a causa do incidente. Troque sempre o fusível danificado por um novo, de igual amperagem e, se possível, troque por disjuntores, que oferecem maior segurança;
  • ·         Nunca use aparelhos elétricos, como por exemplo furadeiras ou lixadeiras, em locais com água ou umidade, nem com as mãos ou os pés molhados;
  • ·         Não ligue ferramentas em Benjamim ou tomada tipo T. Aparelhos elétricos ligados no Benjamim sobrecarregam a tomada, provocando um superaquecimento dos fios que podem causar um curto-circuito.

Segurança na construção

  • ·         Não se arrisque, pois somente profissionais capacitados ou qualificados devem executar serviços em instalações elétricas;
  • ·         Desligar sempre aparelhos elétricos antes de limpar ou fazer pequenos reparos;
  • ·         Andaimes precisam estar montados de acordo com as normas de segurança para evitar contato com as redes elétricas;
  • ·         Verifica a exata voltagem da ferramenta elétrica antes de conectá-la à tomada.

Cuidado com cabos soltos

Sempre que for identificado algum cabo de energia elétrica rompido, ou caído no chão, seja acionado o serviço emergencial da empresa, pelo telefone 0800 970 0900 (ligação gratuita), ou pelo site: www.rge-rs.com.br.

 

Le Chevalier chega aos quadrinhos pela AVEC Editora

No apagar das luzes de 2016, a AVEC Editora coloca no mercado mais uma obra de quadrinhos nacional, desta vez trazendo de volta Le Chevalier, que estrelou um dos romances de steampunk da literatura fantástica nacional. O escritor A.Z. Cordenonsi retorna como roteirista em Le Chevalier: Arquivos Secretos vol. 1 (64 páginas coloridas, 21x28 cm, preço sugerido: R$ 39,90), ao lado do ilustrador Fred Rubim, responsável pela arte do álbum O Coração do Cão Negro, um dos maiores sucessos de público e crítica da editora.

O editor Artur Vecchi explica que as tramas contadas na HQ seguem o mesmo tom do romance, agora atrelado ao dinamismo que só a narrativa em quadrinhos é capaz de conferir a uma obra impressa. “Esta volta de Le Chevalier é um prato cheio tanto para os fãs de quadrinhos quanto para quem vem da literatura fantástica, tendo lido ou não o livro que lançamos em 2015. O álbum tem potencial para agradar todo e qualquer fã de histórias com ação e espionagem, ser steampunk é o detalhe que deixa tudo mais divertido”, revela.

Lançamento

Le Chevalier: Arquivos Secretos vol. 1 pode ser adquirido através do site da AVEC (http://www.avecstore.com.br/) e em breve estará nas principais redes de livrarias do país. O lançamento oficial ocorreu na Comic Con Experience 2016, realizada em São Paulo.

Prelúdio

As histórias apresentadas em Le Chevalier: Arquivos Secretos vol. 1 podem ser lidas mesmo por quem ainda não teve a oportunidade de conhecer o seu romance de estreia Le Chevalier e a Exposição Universal. O roteirista A.Z. Cordenonsi apresenta agora aventuras do personagem situadas em um período anterior ao mostrado no livro.

As aventuras

Em Le Chevalier: Arquivos Secretos vol. 1, a França lidera a Revolução Industrial em um mundo steampunk e o espião Chevalier é o principal agente do Bureau Central de Inteligência e Operações, protegendo o Império Francês contra seus inimigos. Nas duas histórias recheadas de aventura, espionagem e reviravoltas deste volume, Chevalier e Persa, seu desbocado companheiro, precisam capturar um assassino em série e desbaratar uma conspiração que ameaça todo o delicado equilíbrio político europeu.A

 

Empreendedoras desenvolvem gel que promete aumentar a auto estima e a libido

O desejo sexual, também conhecido popularmente como libido, compõe a primeira fase do ciclo da resposta sexual humana: desejo, excitação, orgasmo e resolução.

Durante atendimentos e palestras, Dra. Fabiane Dell’Antonio, Fisioterapeuta, Palestrante, Consultora em Sexualidade, Mestre em Ciências da Saúde Humana (UnC-SC), observou que a maior queixa das pessoas em relação as suas vidas sexuais é a diminuição ou ausência do desejo. “Ouço relatos de que o desejo sexual espontâneo é referido com pouca frequência, mas o que digo para elas é que se a estimulação sexual for adequada resultará em excitação apropriada para sentir prazer e manter o desejo para novas práticas sexuais”, revela.

Porém, o que mais se vê entre homens e mulheres é que o desejo sexual pode estar diminuindo devido a vários fatores como, emocionais, relacionamento, físico e biológico (fadiga, depressão, medicamentos, atividade reduzida dos hormônios sexuais, problemas de saúde, entre outros).

Em busca da melhoria da libido, homens e mulheres vem procurando cada vez mais tratamentos e encontraram na fisioterapia direcionada ao assoalho pélvico um grande avanço. Com o acompanhamento de um profissional da área, associados a muito exercício na região, a fisioterapia pode trazer o aperfeiçoamento nos músculos íntimos, fazendo com que a pessoa adquira melhoria no desejo, tornando-a mais feliz e aumentando a frequência sexual e a afetividade com o parceiro e com ela mesma.

Após muito estudo, a consultora sexual sentiu a necessidade de complementar o tratamento e procurou estudar sobre os feromônios, onde descobriu que estes são substâncias químicas que promovem reações específicas em seus indivíduos e que elas são capazes de suscitar respostas de tipo fisiológico e/ou comportamental, no caso, na área sexual.

“O tratamento pela fisioterapia para quem busca aumentar o desejo sexual é muito importante, porém, conforme essa prática evoluía, eu senti a necessidade de desenvolver algo que pudesse contribuir na vontade das pessoas fazerem sexo com mais desejo, vontade de sentir prazer e satisfação em atitudes sensuais e de autoestima”, acrescenta Fabiane.

Pensando na recuperação da libido, Fabiane criou junto a aromaterapeuta, Neu Bastos, o gel Sol do Coração com o intuito de estimular a produção dos feromônios e desenvolver a produção de cortisol, serotonina entre outros hormônios que promovem sensação de bem-estar, autoestima e o sentimentos da afetividade.

“Quando a pesquisa chegou nos feromônios, surgiram muitas dúvidas, mas o feeling e a intuição me mostraram que caminho seguir. Desde o começo desta jornada eu tinha uma certeza: não buscava um elixir para o bel prazer efêmero e fullgás; buscava criar um elixir que conectasse as pessoas, em seus eus mais íntimos e sinceros, libertasse seus mais intensos e profundos prazeres, mas, com a pessoa certa”, revela Neu.

O gel favorece a intimidade com o outro, a vontade de tocar, abraçar e beijar a pessoa amada favorecendo os estímulos sexuais, a entrega emocional e física que facilitam o prazer, além da melhora na autoestima, afetividade, tranquilidade emocional, atração sexual, vontade de fazer sexo, vontade de estar em contato íntimo com o outro, aumento da frequência sexual, felicidade e paz interior. Além disso, o produto oferece um aroma exótico, forte e sofisticado, isso porque, o blend de óleos que compõem o gel, exploram a sensualidade, amor e magnetismo, potencializados em cada pessoa que o usa.

“O poder pessoal que este gel libera é a energia vital da própria pessoa, é o que ela realmente é na essência, mas, muitas vezes não encontra a válvula de escape para se fluir, revelando nosso prazer e a liberdade de sermos quem somos, ou quem podemos ser”, finaliza.

 

Recuperação do consumo deve ter início apenas no fim do primeiro semestre de 2017

Dados divulgados nesta terça-feira, 13 de dezembro, pelo IBGE mostram que as vendas no varejo seguem em queda em outubro, com uma variação de -8,2% em relação ao mesmo mês do ano passado. Diante desses dados e da conjuntura econômica ainda desfavorável, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) avalia que um início de recuperação no consumo é previsto apenas para o final do primeiro semestre do ano que vem.

“Por ora, a situação do consumidor segue muito influenciada por fatores negativos, como juros altos, inflação, desemprego e queda da renda. A expectativa é de que essas variáveis mostrem alguma melhora apenas em 2017”, afirma o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro. “E ainda existe uma defasagem para que possamos ver efeito positivo sobre os dados de consumo. O risco a este cenário está ligado ao ajuste fiscal em curso, à instabilidade política e ao cenário externo, que podem minar a confiança de consumidores e empresários, adiando ainda mais a recuperação”, analisa.

Para Pellizzaro, os dados de atividade fraca reforçam a expectativa de queda de 0,5 ponto percentual na próxima reunião do Copom, um passo mais intenso do que os cortes de 0,25 p.p. realizados nas duas últimas reuniões.


Queda de 0,8% na comparação mensal

Na comparação entre outubro deste ano com o mês anterior, as vendas do varejo tiveram baixa de 0,8%, segundo o IBGE.  A queda nas vendas dos segmentos de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,6%) e de combustíveis e lubrificantes (-1,7%) foram as principais contribuições negativas para o resultado mensal.

 

Suplementação de cálcio e vitamina D melhora expectativa e qualidade de vida dos idosos

Uma dieta equilibrada é essencial em qualquer fase da vida, pois é através dos alimentos que o organismo obtém a energia necessária para seu bom funcionamento. Porém, com o passar do tempo, surgem alterações fisiológicas que podem afetar ou, até mesmo, limitar a capacidade do organismo de extrair e processar a quantidade adequada de nutrientes essenciais para cultivar uma boa saúde e garantir mais qualidade de vida.

Na terceira idade, fase que, por natureza, já inspira maiores cuidados, a atenção deve ser redobrada. Com o passar dos anos, o corpo apresenta alguns problemas em decorrência do envelhecimento, como enfraquecimento da força muscular, visão e audição, movimentos mais lentos e dificuldades na hora de se alimentar. Mesmo que alguns sinais sejam comuns ao avanço da idade, é fundamental ficar atento às mudanças do organismo para evitar o agravamento desses fatores e outros problemas desnecessários.

Como os idosos costumam conviver com doenças crônicas, grande parte das pessoas associam qualquer enfermidade às consequências comuns da idade, no entanto, há diversos problemas que podem ser evitados com medidas simples, como a suplementação de cálcio e vitamina D por exemplo, que tem não apenas melhorado, mas prolongado essa etapa tão importante da vida.

Idosos: grupo de maior atenção

A população de idosos no Brasil cresce mais a cada ano, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estamos vivendo mais, cerca de vinte milhões de pessoas já completaram ou passaram de sessenta anos de idade, e estima-se que esse número chegue a 30 milhões em 2020. Esse aumento por um lado representa um avanço na longevidade dos brasileiros que deve ser comemorado, mas por outro evidencia a necessidade de uma abordagem mais aprofundada sobre os desafios e características que compreendem essa etapa mais delicada da vida, onde todos queremos chegar com saúde.

De acordo com a nutricionista Joanna Carollo a nutrição adequada é indispensável para todas as faixas etárias, porém para os idosos especialmente, uma vez que a saúde do organismo se torna mais sensível e frágil nessa fase e, portanto, requer mais atenção. “Para se manter saudável e funcionar corretamente o organismo precisa ser abastecido diariamente com carboidratos, proteínas, gorduras, sais minerais, vitaminas e água. Esses nutrientes agem em conjunto e possuem características fundamentais e complementares, portanto a falta de algum deles pode afetar ou mesmo debilitar significativamente a saúde”.

A importância do Cálcio

Encontrado em diversos alimentos como o leite, proteínas, vegetais de folhas verde escuras, peixes entre outros, o cálcio é um mineral fundamental para a manutenção de várias funções do nosso organismo. Ele é o principal constituinte dos ossos, onde fica armazenada a maior quantidade do mineral presente no corpo, outra boa parte fica nos dentes e o resto circula no sangue. Uma dieta com baixo valor nutricional e ausência do mineral pode levar o organismo a retirar dos ossos a quantidade que precisa para equilibrar seus níveis na corrente sanguínea, o que eleva a porosidade do osso, deixando-o mais frágil e aumentando o risco de fraturas e doenças progressivas como a osteoporose, que se torna mais frequente com o envelhecimento.

Vitamina D

Conhecida também como calciferol, a vitamina D estimula a absorção do cálcio pelo organismo após a exposição solar. Sem ela o organismo não consegue absorver o cálcio de maneira adequada e os ossos se tornam frágeis. Esse nutriente é encontrado em poucos alimentos, como fígado, óleos de peixes gordurosos e gema de ovo e ainda está relacionado ao bom funcionamento do coração, cérebro e proteção contra diversas doenças, entre elas o câncer, asma, diabetes, esclerose múltipla, e, até mesmo a depressão.

Além de reduzir a imunidade, a deficiência dessa vitamina também pode provocar alterações no crescimento e no desenvolvimento dos ossos, seus baixos níveis são associados à maiores riscos de fratura de quadril em pacientes mais velhos. De acordo com a profissional da Nova Nutrii, especializada em nutrição clínica, estima-se que atualmente cerca de 50 % da população é afetada pela insuficiência de vitamina D

Falta de exposição solar

Ao contrário do que muita gente imagina, a alimentação inadequada não é a principal vilã quando se fala em carência de vitamina D. É certo que uma dieta equilibrada com alimentos ricos nesse nutriente é fundamental, mas a falta de exposição solar é o fator que mais resulta nessa deficiência. Isso acontece porque são os estímulos dos raios ultravioletas que promovem a sintetização do nutriente, feita na pele.

A exposição ao sol é responsável por 90% da vitamina D que precisamos, mas o estilo de vida moderno tem tornado esse hábito cada vez mais raro no mundo urbano. A migração do ambiente de trabalhou que, com a revolução industrial, passou dos campos e lavouras para dentro das fábricas e escritórios faz com que as pessoas se exponham cada vez menos aos raios solares, e, quando se expõem, fazem uso indiscriminado de filtros, o que prejudica o processo de sintetização e causa uma insuficiência na maior parte da população.

Além de possuir uma rotina que não favorece os banhos de sol, a nutricionista explica que a maioria das pessoas acreditam que apenas 20 minutos de exposição pela manhã cedo ou no período do fim da tarde são suficientes, mas isso não é via de regra. “Não é possível determinar exatamente quanto tempo cada um necessita, esse critério pode variar de acordo com fatores genéticos, porém, é sabido que os idosos possuem maior dificuldade em produzir essa vitamina, em comparação com os jovens, por isso precisam de mais tempo”.

Necessidade de suplementação

Carollo afirma que na terceira idade manter um cardápio balanceado é primordial, tanto para manutenção do organismo quanto para prevenção de enfermidades diversas, porém, muitos possuem uma alimentação mais restrita, seja por problemas com deglutição, falta de apetite ou a exclusão de algum alimento em decorrência de tratamentos para outros fins. “Esses fatores, além de resultarem, muitas vezes, no desinteresse pelas refeições, ainda prejudicam a ingestão de minerais importantes como o cálcio, ou vitaminas como a D, essenciais, especialmente nessa idade, e ainda podem causar desnutrição, desidratação e outras complicações de saúde".

Esse quadro não configura uma doença propriamente, mas um sinal de alerta que, se negligenciado, pode levar a complicações que interferem diretamente no estado nutricional do idoso e pode desencadear no surgimento de doenças ou no agravamento das enfermidades pré-existentes. Segundo a nutricionista: “A falta desses nutrientes pode comprometer a qualidade de vida, por isso, é preciso ficar atento aos sinais do corpo. O cálcio é um mineral que compete com outros nutrientes, determinadas combinações alimentares interferem na sua absorção, ao mesmo tempo, os níveis de vitamina D devem estar equilibrados para que isso ocorra, ou seja, diante de um grupo de pessoas com capacidade reduzida para assimilar os nutrientes, a suplementação pode ser necessária”.

Embora existam as fontes naturais para os nutrientes, eles também são sintetizados quimicamente e indicados a fim de se adequar à nova realidade das pessoas. Repor a vitamina D, por exemplo, através de suplementação é reconstituir um mecanismo natural, mas, antes de fazer alterações deliberadas na dieta, é fundamental consultar um nutricionista, pois, somente ele será capaz de avaliar o estado nutricional do paciente e orientá-lo da melhor maneira.

Fonte: Nova Nutrii

Última atualização ( Seg, 12 de Dezembro de 2016 16:14 )
 
Página 8 de 223

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital