Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Destaques

Destaques

RGE alerta para cuidados com a instalação de enfeites luminosos no Natal

Faz parte da tradição natalina o uso de luzes para embelezar e iluminar residências, comércio e ruas das cidades no final de ano. Pela tradição católica, a montagem da Árvore de Natal, assim como a decoração de fachadas com as clássicas lâmpadas coloridas,deve começar em 30 de novembro, quando se inicia o tempo do avento. Para garantir que as festividades de fim de ano ocorram com segurança, economia e alegria, a Rio Grande Energia (RGE), distribuidora do Grupo CPFL Energia, dá dicas de utilização destes produtos.

Antes de iniciar a decoração das fachadas e instalação dos enfeites nas Árvores de Natal, é importante verificar as condições dos fios dos piscas-piscas. É comum que, ao longo do tempo após vários anos de uso, os cabos do enfeite fiquem ressecados ou rompidos. Nestas condições, a RGE recomenda a compra de um novo enfeite para evitar choques elétricos, curtos-circuitos e até incêndios, além que gerem gastos desnecessários no consumo de energia elétrica.

Outra precaução de segurança é checar o estado das instalações elétricas antes de ligar qualquer enfeite natalino à tomada, verificando se a capacidade e a resistência dos condutores, tanto da fonte de energia quanto dos enfeites em si, são compatíveis com a carga elétrica requerida. Assim, o consumidor deve ficar atento às informações sobre potência, tensão de alimentação e instruções de uso que constam nas embalagens dos piscas-piscas.

“Não se deve fazer nenhuma instalação elétrica sem conhecimento. O correto é contratar um eletricista qualificado para abrir o quadro de força de sua casa e verificar todas as conexões de cabos. Uma fiação defeituosa ou solta, somada a uma sobrecarga adicional, é causa comum de danos graves, como o superaquecimento, choques e até a queima da fiação elétrica e consequente incêndio da casa. Nunca ligue vários enfeites em uma tomada usando o perigoso benjamim, ou faça emendas de fios, que também podem ser pontos de superaquecimento”, diz Gerente de Serviços de Rede Centro da RGE, Luiz Carlos Moreira Junior.

Distribuir a demanda adicional de energia elétrica gerada pelo uso de luzes decorativas, enfeites luminosos, presépios e outros acessórios elétricos entre diferentes pontos da casa diminui a possibilidade de uma faísca por sobrecarga ou superaquecimento dos cabos. O ideal é que os acessórios tenham fusíveis de proteção para isolar a falha sem afetar o circuito completo da casa.

Certifique-se de que os enfeites sejam de boa qualidade, certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Essa certificação garante maior segurança, por assegurar que os equipamentos foram submetidos a vários testes antes de chegar ao mercado. Lembre-se de realizar as instalações do pisca-pisca sempre com ele desligado da tomada.

Não é recomendada a colocação dos enfeites luminosos próximos a piscinas ou em locais molhados. Em áreas sujeitas a chuvas, o consumidor os modelos de piscas-piscas resistentes à água. A pessoa também deve evitar, a todo custo, instalar a decoração natalina com os pés ou mãos molhadas dado o risco de choque.

Dentro de casa, o alerta é para que as crianças tenham acesso vigiado à Árvore de Natal, pois elas podem sofrer choque elétrico ou provocar acidentes ao mexer nos enfeites. Antes de sair de casa, não se esqueça de desligar os enfeites luminosos.

Verifique se a Árvore de Natal é resistente ao fogo. Se possível, opte pelos modelos anti-inflamáveis. Deve-se também evitar o contato dos piscas-piscas com objetos e enfeites que podem ser inflamáveis.

Ao comprar um enfeite novo, opte por produtos LED (Light Emitting Diode), que, apesar de mais caros, duram mais e são mais econômicos. Os cordões natalinos convencionais utilizavam filamentos incandescentes, ou seja, são de baixa eficiência e com consumo de energia mais elevado.

Com a popularização do LED, o mercado oferece cordões com mais de 300 pontos de luz consumindo menos de 10 watts. Os LEDs são mais seguros, pois trabalham a baixas temperaturas. Cuidados devem ser tomados para não efetuar emendas que podem prejudicar o seu funcionamento e, eventualmente, causar um curto circuito.

Distância segura

Para o comércio ou mesmo as residências que possuem enfeites na fachada, é necessário manter uma distância segura entre a decoração externa e a rede de distribuição de energia elétrica da CPFL. Não suba em postes ou em árvores próximas da rede elétrica para pendurar os enfeites e nunca tente fazer ligação direta da iluminação natalina na rede elétrica da distribuidora de energia.

Os enfeites também devem ser bem afixados, de forma que não arrebentem durante um temporal, vindo a ser lançados na rede e podendo provocar um curto-circuito. No caso de dúvidas sobre a instalação externa, consulte sempre a distribuidora.

Dicas na iluminação de Natal

Providencie uma revisão das instalações elétricas antes de iniciar a decoração e faça uma boa revisão dos fios decorativos e dos piscas antes de instalá-los.

  • ·         Sempre faça a instalação das luzes de Natal com o circuito desligado;
  • ·         Não utilize benjamins e tenha cuidado para não ultrapassar o limite de carga da tomada que liga as lâmpadas;
  • ·         Não faça emendas nos fios do circuito de iluminação de Natal;
  • ·         Não tente ligar o enfeite diretamente na rede elétrica externa (da distribuidora de energia).
  • ·         As luzes devem ser desligadas quando não houver alguém na casa ou quando estiverem dormindo;
  • ·         Por serem fontes de calor, as luzes necessitam de acompanhamento contínuo;
  • ·         Não faça instalação próxima de piscinas ou áreas alagadas;
  • ·         Adquira produtos certificados com o selo do Inmetro em lojas especializadas e utilize iluminação à prova d’água em ambiente externo;
  • ·         Não utilize estruturas metálicas próximas da rede elétrica e não suba nos postes ou árvores próximas de redes elétricas para instalar os enfeites;
  • ·         Evite o contato das lâmpadas com objetos e enfeites que podem ser inflamáveis, como cortinas e tapetes;
  • ·         No caso das árvores de Natal, é importante procurar pela etiqueta “resistente ao fogo”;
  • ·         Evite o uso de luzes elétricas e piscas que contenham metal, pois estes materiais podem conduzir energia e provocar choques elétricos;
  • ·         Cuidado com as crianças! Elas sentem-se atraídas pelas lâmpadas e podem sofrer acidentes elétricos ao manusearem indevidamente os enfeites;
  • ·         Na dúvida, consulte sempre um eletricista credenciado.

A escolha das lâmpadas

É possível encontrar enfeites luminosos de Natal à base de LEDs no mercado, porém a um preço um pouco maior. O diferencial é que um “pisca-pisca” com até 300 lâmpadas LED possui em média uma potência de 6W a 10W. Além disso, as lâmpadas LED duram mais, produzem menos calor sendo assim mais seguras. Se puder optar por eles, os benefícios são:

  • ·         Luzes mais econômicas que consumem menos energia;
  • ·         Brilho mais intenso;
  • ·         Vida útil maior;
  • ·         Esquentam menos do que as lâmpadas convencionais, o que diminui o risco do calor incendiar artigos inflamáveis, como árvores de Natal com decorações de papel etc.

Consumo

O consumo de energia vai depender da quantidade de lâmpadas que serão utilizadas. Cada pequena lâmpada incandescente utilizada na decoração das árvores de Natal consome entre 1 watt e 5 watts. Portanto, um conjunto cem luzinhas (o modelo mais comum encontrado no mercado), de 1 watt cada, por exemplo, tem uma potência equivalente entre 100 W (o mesmo que uma antiga lâmpada incandescente de 100 W), que se ficar acesa durante 4 horas por dia consome 12kWh/mês de energia elétrica. Já um conjunto de até 300 lâmpadas em LED consome até 10W.

 

 

Como apreciar corretamente uma cerveja

Ela é a bebida alcoólica mais consumida no Brasil, já serviu de inspiração para música, tem um dia dedicado a ela, podemos dizer que é considerada uma paixão nacional, quem sabe, mundial. Sim, estamos falando da cerveja. E para melhorar ainda mais sua experiência com a bebida, o Sommelier de Cervejas e chef de cozinha do curitibano Simples Assim e Sommelier de cervejas, Guilherme De Rosso, preparou algumas dicas especiais.

Para começar, escolha um estilo que agrade ao seu paladar. Segundo o especialista, o rótulo dá dicas importantes sobre a bebida. “Antes de tudo é legal a pessoal decidir que tipo de cerveja ela pretende tomar, hoje existem estilos variados que agradam a todos os gostos”, comenta. Cada cerveja tem uma temperatura. Essa é outra informação importante a ser levada em consideração, já que as temperaturas variam de estilo para estilo. Uma Stout, por exemplo, pede uma temperatura média de 12°C, já uma pilsen vária entre 4°C e 6°C. “Esse cuidado faz com que os aromas essenciais da bebida sejam valorizados, fazendo com que a pessoa consiga sentir tudo que ela tem a oferecer”, acrescenta De Rosso.

Pouca gente sabe, mas o copo, também, é algo muito importante na hora de tomar aquela “gelada”, e isso vai desde o design até a limpeza do objeto. O design do copo ajuda na melhor formação da espuma e na captação dos aromas dependendo da cerveja que será servida.  Chicletes, cigarros e café antes de tomar a cerveja podem afetar e muito o paladar, trazendo a quem bebe aromas alterados. “É bom evitar o uso desses elementos, eles podem alterar consideravelmente o sabor da cerveja”, detalha o especialista.

Outro ponto importante, segundo o especialista, é o armazenamento, quando a garrafa for de tampa metálica, a bebida deve ser armazenada de pé, não muito alta e longe da luz solar. E quando colocá-la para refrigeração o ideal é só retirá-la quando for consumir. No momento da degustação, comece pelo visual da cerveja, sua cor, e a formação da espuma, para depois sentir seus aromas e por último o paladar.

Se você pretende beber mais de um rótulo no dia, é importante ter sempre uma garrafa de água e um pãozinho por perto, para intercalar e evitar que você fique “de porre”. Tente harmonizar a bebida com pratos da sua preferência, faça testes, veja dicas na internet. “Para quem gosta de cozinhar e beber cerveja a harmonização com comidas é brincadeira muito legal de experimentar”, explica. Para finalizar, De Rosso lembra que não existe jeito certo ou errado de beber cerveja, cada um tem sua preferência e tudo depende da ocasião, essas dicas são apenas para melhorar sua experiência com a bebida.

 

Cinco substituições no cardápio para deixar o coração mais saudável

A busca por uma alimentação equilibrada geralmente traz dúvidas sobre quais alimentos devem ser consumidos com maior frequência ou não. Os óleos vegetais e seus derivados, como o creme vegetal, por exemplo, podem ser grandes aliados dentro de um estilo de vida saudável. Em sua composição são encontrados nutrientes essenciais de que o corpo necessita, mas não é capaz de produzir sozinho, como os ômegas 3 e 6.

Segundo a nutricionista Bianca Naves “os ômegas têm função importante na manutenção de níveis adequados de colesterol e na prevenção de doenças crônicas, auxiliando, assim, a manter a saúde do coração e a garantir uma alimentação equilibrada e saudável”.

Ainda de acordo com Bianca Chimenti, é essencial incluir nas refeições alimentos ricos em ômegas 3 e 6, como os que são encontrados em óleos vegetais, cremes vegetais, peixes, entre outros. “Também há o efeito anti-inflamatório dos nutrientes, importante para evitar a obesidade”, exemplifica.

Para reduzir o risco de doenças cardiovasculares em até 10%, o ideal é substituir 5% do valor calórico total que vem das gorduras saturadas por gorduras ‘boas’, as insaturadas, como os ômegas 3 e 6.

Um artigo¹ sobre prevenção de doenças cardiovasculares divulgado recentemente pela Sociedade Europeia de Cardiologia enfatiza que o mais importante do que o total de gorduras ingeridas é a qualidade delas. Ao substituir 1% de energia vinda de gorduras saturadas (“ruins”) por poli-insaturadas (“boas”), o risco de doenças arteriais coronarianas diminui de 2 a 3%.

Onde encontrar:
Ômegas 3:Salmão, atum, chia, linhaça, noz.
Ômegas 6:Óleos vegetais, cremes vegetais, nozes, castanhas, amendoim.

#DicasdaNutri

Confira as dicas da nutricionista Bianca Chimenti para saber quais alimentos incluir para consumir ômegas 3 e 6, que ajudam a manter a saúde do coração em dia:

  1. A substituição do consumo de carne vermelha por peixes, como salmão, atum e sardinha, de 2 a 3 vezes por semana ajuda a garantir a ingestão de ômega 3;
  2. Nozes e castanhas podem ser uma opção de lanche entre as refeições para contribuir com gorduras boas!
  3. Cremes vegetais são produtos a base de óleos vegetais e contém ômegas 3 e 6, sendo opções saborosas para incluir tanto no café da manhã quanto em preparações. São uma opção para a manteiga, que tem um teor maior de gorduras saturadas;
  4. O consumo de 25g de proteína de soja por dia, dentro de um estilo de vida saudável, também ajuda a diminuir o colesterol;
  5. A aveia vai muito bem com frutas e vitaminas. Além de adicionar sabor, ela é rica em beta glucana, um tipo de fibra que ajuda a diminuir a absorção de gorduras!
Última atualização ( Qui, 24 de Novembro de 2016 10:37 )
 

Canoas Shopping elege lojistas destaques do ano 2016

Nesta quinta-feira, dia 24 de novembro o Canoas Shopping realiza a entrega do Prêmio Destaques do Ano 2016, em reconhecimento aos lojistas com melhor desempenho conforme avaliação em pesquisa de cliente oculto.

A prêmio é concedido anualmente pelo Canoas Shopping e a cerimônia de entrega da edição 2016 acontece na Waldhof Festas & Eventos em Canoas.

A pesquisa de cliente oculto foi desenvolvida e executada durante o mês de outubro pela Cliente Amigo, empresa especializada na interação com pessoas, relacionamento com clientes e antecipação de tendências, e  teve como foco a apresentação visual e a qualidade final do atendimento.

As operações foram segmentadas em cinco categorias, em consonância com critérios definidos pela Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers):

  • ·         Lojas âncora e megalojas;
  • ·         Alimentação;
  • ·         Artigos diversos e do lar;
  • ·         Conveniência, serviços e lazer;
  • ·         Lojas âncora e megalojas;
  • ·         Vestuário.

O vencedor de cada categoria é eleito entre as três operações melhor avaliadas no seu respectivo segmento.

Sobre o Canoas Shopping

Localizado na cidade de Canoas/RS, o Canoas Shopping atualmente é o maior empreendimento comercial da Região Metropolitana de Porto Alegre. São mais de 220 lojas, a maior praça de alimentação em número de operações e 1,37 mil vagas de estacionamento coberto. No fluxo médio mensal, registra um milhão de consumidores circulando nas dependências do shopping.

Desde 2006 o Canoas Shopping é administrado pela Mais Valor Planejamento e Gestão de Negócios, de Santo André/SP.  Além do Rio Grande do Sul, que representa 30% dos seus negócios, a Mais Valor atua também nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Pernambuco e no Distrito Federal.

www.canoasshopping.com.br

 

O momento de fazer a modernização do Estado é agora', diz Sartori

 

Ao anunciar as medidas para enfrentar a situação de calamidade financeira do setor público e promover a reestruturação do Estado, o governador José Ivo Sartori afirmou, durante o anúncio das medidas nesta segunda-feira (21), que as medidas são duras, mas que desenham um novo Estado que prioriza qualidade de vida, apoiado no empreendedorismo, na sustentabilidade e na justiça social. "Um Estado mais moderno, que sirva às pessoas e promova o desenvolvimento. O momento de fazer essa modernização é agora".
O governo enfrenta dois grandes desafios: financeiro e de gestão. "Gastamos mais do que arrecadamos e, por isso, não conseguimos cumprir até mesmo as obrigações mais essenciais", frisou Sartori.  Disse que a sociedade não aceita mais conviver com o atraso, o desperdício, a ineficiência e os privilégios.
“O Estado que queremos deixar para nossos filhos e netos depende de escolhas difíceis, decisões firmes e esforços redobrados. Nosso governo escolheu o Rio Grande do futuro. Queremos seguir em frente".
O governador enfatizou o Estado está diante da mais severa crise das finanças públicas da história do Rio Grande do Sul e do país, aliado a uma crise estrutural de um setor público defasado e ultrapassado. "O modelo de Estado que podia tudo e gastava sem pensar fracassou completamente. Sem equilíbrio financeiro, muito pouco ou quase nada é possível. Não se faz justiça social sem equilíbrio das contas públicas", sustentou.
Calamidade
Sartori afirmou que o anúncio é novo, mas é a continuidade do trabalho que começou no primeiro dia de governo. Ressaltou os decretos de contenção de gastos redução de secretarias e as aprovações da Lei de Responsabilidade Fiscal Estadual e do regime de Previdência Complementar. Mencionou o limite de gastos dos poderes por meio de um orçamento realista, a implantação de um modelo de Governança e Gestão (o Acordo de Resultados), o combate à sonegação, da renegociação da dívida com a União e a intensificação da cobrança da dívida ativa.
"Tudo o que fizemos até aqui foi importante, mas não foi suficiente", ao falar do déficit projetado para as contas públicas. Para 2016 é de R$ 2,3 bilhões. Em 2017, acumulado, chega a mais de R$ 5 bilhões. Em 2018, acumulado, vai a R$ 8,8 bilhões. "Fizemos muito, pois a projeção era de R$ 25 bilhões".
"Não aceito mais essa situação, o Rio Grande não aceita mais. É hora de dar um basta. Esse deve ser nosso pacto político permanente, para além de partidos, ideologias, poderes, corporações ou outros interesses. Sempre disse e repito: isso não é obra para um homem só, nem para um governo só. É uma questão de Estado, de toda a sociedade gaúcha".
Medidas de reestruturação
O governador descreveu o pacote que será enviado à Assembleia Legislativa como "uma mudança profunda na estrutura do Estado e um plano de recuperação nas finanças públicas". Sartori garantiu que "todo o recurso adicional" será destinado à melhoria do atendimento à população nas áreas essenciais (especialmente na segurança) e ao equilíbrio das contas públicas.
Anunciou a redução de secretarias, extinção de fundações e autarquias, privatização ou federalização de companhias, e a racionalização das estruturas públicas em diversas áreas, além de mudanças nas regras do serviço público. Também propõe a antecipação do vencimento do ICMS da indústria e o pedido de urgência ao projeto que prevê a redução dos benefícios fiscais em até 30%. "Vamos aprofundar as medidas do Ajuste Fiscal Gaúcho. Estamos propondo que os demais poderes também participem por meio de uma regra mais justa e realista para o cálculo do duodécimo".
Tamanho do Estado
Sartori enfatizou que chegou a hora da sociedade discutir o tamanho do Estado que suporta pagar. "Defendo, nós defendemos, que o novo Estado gradativamente se volte mais à segurança, saúde, educação, infraestrutura e às áreas sociais. Tudo o que não dialogar com esses propósitos, de servir às pessoas, especialmente aquelas que mais precisam, não deve onerar as contas públicas".
"Levamos muito longe esse modelo. Agora nos cabe fazer essa adequação, sem mais esperar. Afirmo de maneira categórica: se essas medidas não forem aprovadas, não teremos como garantir a sustentabilidade do sistema previdenciário gaúcho. Essa consciência não pode nunca nos escapar. Quando eu digo novo Estado, não falo apenas do Executivo, mas de todos os poderes e instituições que dele fazem parte".
"É um dia histórico para o Rio Grande do Sul. A semeadura é trabalhosa, mas a colheita depende dela. Hoje nós estamos plantando mais uma fértil semente de mudança. Queremos um novo Estado e um novo futuro para o nosso Rio Grande do Sul. A esperança se renova!"

 

Ao anunciar as medidas para enfrentar a situação de calamidade financeira do setor público e promover a reestruturação do Estado, o governador José Ivo Sartori afirmou, durante o anúncio das medidas nesta segunda-feira (21), que as medidas são duras, mas que desenham um novo Estado que prioriza qualidade de vida, apoiado no empreendedorismo, na sustentabilidade e na justiça social. "Um Estado mais moderno, que sirva às pessoas e promova o desenvolvimento. O momento de fazer essa modernização é agora".

O governo enfrenta dois grandes desafios: financeiro e de gestão. "Gastamos mais do que arrecadamos e, por isso, não conseguimos cumprir até mesmo as obrigações mais essenciais", frisou Sartori.  Disse que a sociedade não aceita mais conviver com o atraso, o desperdício, a ineficiência e os privilégios.

“O Estado que queremos deixar para nossos filhos e netos depende de escolhas difíceis, decisões firmes e esforços redobrados. Nosso governo escolheu o Rio Grande do futuro. Queremos seguir em frente".

O governador enfatizou o Estado está diante da mais severa crise das finanças públicas da história do Rio Grande do Sul e do país, aliado a uma crise estrutural de um setor público defasado e ultrapassado. "O modelo de Estado que podia tudo e gastava sem pensar fracassou completamente. Sem equilíbrio financeiro, muito pouco ou quase nada é possível. Não se faz justiça social sem equilíbrio das contas públicas", sustentou.

Calamidade

Sartori afirmou que o anúncio é novo, mas é a continuidade do trabalho que começou no primeiro dia de governo. Ressaltou os decretos de contenção de gastos redução de secretarias e as aprovações da Lei de Responsabilidade Fiscal Estadual e do regime de Previdência Complementar. Mencionou o limite de gastos dos poderes por meio de um orçamento realista, a implantação de um modelo de Governança e Gestão (o Acordo de Resultados), o combate à sonegação, da renegociação da dívida com a União e a intensificação da cobrança da dívida ativa.

"Tudo o que fizemos até aqui foi importante, mas não foi suficiente", ao falar do déficit projetado para as contas públicas. Para 2016 é de R$ 2,3 bilhões. Em 2017, acumulado, chega a mais de R$ 5 bilhões. Em 2018, acumulado, vai a R$ 8,8 bilhões. "Fizemos muito, pois a projeção era de R$ 25 bilhões".

"Não aceito mais essa situação, o Rio Grande não aceita mais. É hora de dar um basta. Esse deve ser nosso pacto político permanente, para além de partidos, ideologias, poderes, corporações ou outros interesses. Sempre disse e repito: isso não é obra para um homem só, nem para um governo só. É uma questão de Estado, de toda a sociedade gaúcha".

Medidas de reestruturação

O governador descreveu o pacote que será enviado à Assembleia Legislativa como "uma mudança profunda na estrutura do Estado e um plano de recuperação nas finanças públicas". Sartori garantiu que "todo o recurso adicional" será destinado à melhoria do atendimento à população nas áreas essenciais (especialmente na segurança) e ao equilíbrio das contas públicas.

Anunciou a redução de secretarias, extinção de fundações e autarquias, privatização ou federalização de companhias, e a racionalização das estruturas públicas em diversas áreas, além de mudanças nas regras do serviço público. Também propõe a antecipação do vencimento do ICMS da indústria e o pedido de urgência ao projeto que prevê a redução dos benefícios fiscais em até 30%. "Vamos aprofundar as medidas do Ajuste Fiscal Gaúcho. Estamos propondo que os demais poderes também participem por meio de uma regra mais justa e realista para o cálculo do duodécimo".

Tamanho do Estado

Sartori enfatizou que chegou a hora da sociedade discutir o tamanho do Estado que suporta pagar. "Defendo, nós defendemos, que o novo Estado gradativamente se volte mais à segurança, saúde, educação, infraestrutura e às áreas sociais. Tudo o que não dialogar com esses propósitos, de servir às pessoas, especialmente aquelas que mais precisam, não deve onerar as contas públicas".

"Levamos muito longe esse modelo. Agora nos cabe fazer essa adequação, sem mais esperar. Afirmo de maneira categórica: se essas medidas não forem aprovadas, não teremos como garantir a sustentabilidade do sistema previdenciário gaúcho. Essa consciência não pode nunca nos escapar. Quando eu digo novo Estado, não falo apenas do Executivo, mas de todos os poderes e instituições que dele fazem parte".

"É um dia histórico para o Rio Grande do Sul. A semeadura é trabalhosa, mas a colheita depende dela. Hoje nós estamos plantando mais uma fértil semente de mudança. Queremos um novo Estado e um novo futuro para o nosso Rio Grande do Sul. A esperança se renova!"

Última atualização ( Seg, 21 de Novembro de 2016 17:28 )
 

Projeto Verão – como a medicina esportiva pode ajudar a manter a boa forma e melhorar a saúde

No final do ano o movimento nos consultórios de médicos esportistas aumenta 50%, é a corrida contra o tempo para se livrar dos indesejáveis pneuzinhos, perder peso e ganhar músculos

Com a chegada da época mais quente do ano, homens e mulheres investem na malhação para ficarem em forma e fazerem bonito na piscina ou na praia. “Em outubro, novembro e dezembro, cresce em média 50% a ida de pessoas aos consultórios visando perder gordura localizada, ganhar massa muscular e emagrecer”, conta Dra. Karina Hatano, médica do exercício e do esporte.

A especialista alerta, porém, que não existe mágica. Para alcançar os objetivos é necessário seguir um programa de treinos associado obviamente a ajustes na alimentação. Detalhe, o ideal é que se perca, no máximo, 4 kg ao mês, não mais do que isso. “O foco sempre será a saúde e, em segundo plano, como consequência, a estética. A perda não pode ultrapassar os 800 gramas por semana”, enfatiza.  E completa: “Fazer exercícios sem orientação ou exagerar na dose pode levar à lesão muscular, entorses, arritmia e a pior fatalidade: a morte súbita”.

No consultório, a primeiro passo consiste em investigar a história pessoal de saúde do paciente, com perguntas sobre a família e predisposição à eventuais doenças. Em seguida são realizados exames clínicos e laboratoriais incluindo o de sangue e do coração (tanto em repouso como de esforço) e avaliações de equilíbrio e flexibilidade. “São procedimentos necessários para saber se a prática esportiva pode provocar eventuais problemas e determinar os tipos de atividades adequadas”, comenta a médica.

Em seguida é elaborado um plano alimentar para a perda de peso, com o respectivo monitoramento.

Caso a pessoa esteja com sobrepeso é possível chegar no corpo ideal em 3 meses. Acima disso, nos casos de obesidade ou obesidade mórbida, serão necessários 6 meses, pelo menos. Porém, já nos primeiros 90 dias o paciente conseguirá resultados importantes como a redução da pressão arterial e do ritmo cardíaco e diminuição do colesterol, além de melhorar o humor e aumentar o bem-estar.

Resumindo, o Plano Verão é sempre importante e vai ajudar a pessoa a atingir o peso ideal.  Mas, lembre-se, antes de sair correndo e fazer exercícios tome nota das dicas da Dra. Karina, também responsável pela avaliação pré-participação esportiva dos jogadores profissionais de futebol do campeonato paulista:

  • Procure primeiramente atendimento médico, de um especialista, que irá prescrever a alimentação e o programa de exercícios adequado e acompanhar a evolução;
  • Sempre se hidrate, tome de 2 a 3 litros de água por dia;
  • Meia hora antes do treino coma carboidrato e proteína, por exemplo, sanduíche com peito de peru ou fruta com iogurte;
  • Fuja das dietas milagrosas e nunca faça atividade física em jejum;
  • Cuidado com os excessos, ao invés de ajudar os exercícios muito extenuantes podem provocar lesões, entorses ou até levar ao óbito.

Depois de seguidas as orientações e consultado um especialista, tenha um bom treino.

 
Página 3 de 144

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital