Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Entretenimento

Entretenimento

Segredos dos grandes investidores do Brasil são revelados em livro

Após lançamento em São Paulo e no Rio de Janeiro em setembro, o livro “Fora da Curva – Os segredos dos grandes investidores do Brasil e o que você pode aprender com eles” será lançado em Porto Alegre. Haverá uma palestra sobre o livro, feita pelos co-autores Pierre Moreau, sócio da Casa do Saber, e Giuliana Napolitano, editora da revista Exame, na Apimec-Sul (Rua General Câmara 243, 3º andar - Centro Histórico), no dia 9 de novembro, às 18h30. Para confirmar presença, contatar pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .br ou telefone (51) 3224-3121.

Com prefácio de Jorge Paulo Lemann, o livro traz as histórias de dez dos maiores investidores do país. Eles contam como tiveram sucesso no mercado financeiro, falam sobre seus grandes acertos e também sobre seus erros, além de dar conselhos que podem ser seguidos mesmo por quem não entende de finanças. Os dez investidores retratados na obra são:  André Jakurski, Antonio Bonchristiano, Florian Bartunek, Guilherme Aché, Guilherme Affonso Ferreira, José Carlos Reis de Magalhães Neto, Luiz Fernando Figueiredo, Luis Stuhlberger, Meyer Joseph Nigri e Pedro Damasceno.

Fora da Curva, que faz parte da coleção Portfolio Penguin da editora Companhia das Letras,  também está na lista dos dez livros mais vendidos de PublishNews, Veja e Folha de São Paulo. O projeto do livro surgiu a partir de um curso organizado por Pierre Moreau e Florian Bartunek (também co-autor da obra) na Casa do Saber, em 2012.

Para Bartuneck, Moreau e Giuliana, o livro contribui para desmistificar percepções equivocadas sobre o mercado financeiro e seus profissionais. “O tema promove uma reflexão sobre investimentos numa proposta de orientar alunos e investidores em como tomar decisões de risco. A obra é originada de entrevistas realizadas na Casa do Saber, durante o curso Grandes Investidores. A partir de então, desenvolvemos os estudos de caso com a experiência dos dez investidores”, afirma o advogado Pierre Moreau.

“Toda pessoa que ganha mais do que gasta, provavelmente, é um investidor de alguma forma. Uma lição que aprendi cedo é que quanto mais tempo se gasta com seus investimentos, maior a chance de ter bons retornos. A leitura do livro é muito instrutiva nesse sentido, contendo informações e anedotas não disponíveis para o grande público”, destaca o investidor Florian Bartunek.

Já a jornalista Giuliana Napolitano ressalta que o livro não é voltado somente para especialistas, mas também destina-se ao público leigo que deseja obter maior conhecimento no assunto. “É um livro interessante que se destaca pelo relato da trajetória profissional dos entrevistados. Por isso, é leitura recomendada tanto para quem se interessa por investimentos e queira entender mais sobre a lógica do mercado financeiro quanto para universitários e aqueles que pensam em seguir uma carreira na área.”

Programa de Lançamento Fora da Curva em Porto Alegre

Data: 09 de novembro de 2016, quarta-feira

Horário: 18h30

Local: Apimec-Sul (Rua General Câmara 243, 3º andar - Centro Histórico)

Debate com a participações de Pierre Moreau e Giuliana Napolitano.

 

Enfim Sós Últimas apresentações

A TrupeZonaDeTeatro realiza neste final de semana as últimas apresentações do espetáculo Enfim Sós - uma tragicomédia clownesca. As sessões ocorrem às 20h, na Sala Álvaro Moreyra, em Porto Alegre. A montagem utiliza a linguagem do clown para falar de um tema caro ao ser humano: a relação a dois. O casamento é tomado como ambiente emblemático, onde sentimentos intensos e controversos são partilhados, em constante tensão, mas temperado com muito humor.

Com atuações de Fábio Castilhos e Melissa Dornelles, tendo como diretora convidada Luciane Olendzki e assistência de direção de Giovanna Zottis, a dramaturgia foi construída a partir das improvisações dos atores e de relatos biográficos de histórias de amor, coletadas na pesquisa realizada com os moradores do Lar Maria de Nazaré, da Associação de Cegos Louis Braille (ACELB) e na atividade Amor (re)partido - uma ação performática na Usina do Gasômetro, que coletou relatos e histórias de amor, de pessoas que voluntariamente queriam compartilhar, improvisados pelos atores/palhaços e o músico responsável pela trilha sonora do espetáculo.

No saguão do teatro, o público é convidada a relatar suas histórias pessoais, envolvendo relacionamentos a dois. Alguns destes relatos são sorteados durante o espetáculo e as situações descritas são improvisadas pelos atores-palhaços. Trava-se um momento de grande interação, intimidade e, não raro, humor entre o público e o elenco. Tomando o amor como temática-base, o grupo investiga a intersecção e os tensionamentos entre o trágico e o cômico na cena teatral.

Ficha Técnica:

Espetáculo: Enfim Sós - Uma Tragicomédia Clownesca

Direção: Luciane Olendzki

Atuação: Fábio Castilhos e Melissa Dornelles

Dramaturgia: Fábio Castilhos, Giovanna Zottis, Luciane Olendzki e Melissa Dornelles.

Assistência de Direção: Giovanna Zottis

Cenografia, Figurinos e Adereços: Margarida Rache e Patrícia Preiss

Trilha Sonora: Sergio Baiano

Criação e Operação de Luz: Bathista Freire

Assessoria de Imprensa: Sílvia Abreu Consultoria Integrada de Marketing

Arte Gráfica: Marcel Trindade

Produção e Realização: TrupeZonaDeTeatro

Duração: 80 minutos

Classificação etária: 14 anos

SERVIÇO:

O Quê: Enfim Sós - Uma tragicomédia clownesca, com Melissa Dorneles e Fábio Castilhos. Direção de Luciane Olendzki.

Quando: De 14 a 30 de outubro de 2016, de sexta a domingo, às 20h.

Onde: Sala Álvaro Moreyra, Centro Municipal de Cultura (Erico Verissimo 307), Porto Alegre-RS

Quanto: R$ 20,00 (inteira). Desconto de 50% para estudantes, idosos, professores e classe artística, mediante apresentação de documento comprobatório.

Venda antecipada: Loja Sirius (Rua da República, 304)

 

Casa de Cultura Mário Quintana abre chamada pública de ocupação

Abrir os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) para toda a classe artística brasileira é a proposta do Ocupa Mario 2017. Grupos, coletivos e artistas independentes devem inscrever seus projetos, sejam eles ensaios ou apresentações, para contar com os teatros, auditório, salas e demais espaços da Casa. As inscrições acontecem de 01 a 31 de outubro de 2016, através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , para onde devem ser enviadas a ficha de inscrição e demais anexos que expliquem as propostas.
O Regulamento e informações sobre a documentação necessária estão disponíveis no site da CCMQ (www.ccmq.com.br) ou pode ser solicitado pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , além de mais esclarecimentos no telefone (51) 3224-2537. Após o envio, esses documentos são avaliados por um conselho artístico que divulgará os selecionados a partir do dia 1 de dezembro.
Anteriormente, o processo de ocupação dos espaços da Casa de Cultura Mario Quintana se dava através de agendamento, o que, nem sempre contemplava todo o Estado, ou mesmo, dependia de uma análise dos objetivos específicos das propostas.
Em 2015 foram realizadas três (3) Chamadas Públicas: Fevereiro, Maio e uma Extra em Setembro, a cada Chamada foram sendo aperfeiçoados os mecanismos de escolha e regulamento, sempre escutando sugestões, a fim de, chegar a um chamamento cada vez mais democrático e transparente.
Agora, com a Camada Pública 2017, os artistas concorrem mais democraticamente, já que todos passarão por avaliação multidisciplinar não importando quais foram os primeiros que solicitaram a ocupação da casa.
De acordo com o diretor da CCMQ, Émerson Martínez Fortes, a ideia é resgatar o real objetivo da instituição, que é de troca de experiências e apropriação dos seus espaços por todos os artistas. “Destaco a importância deste processo seletivo que faz com que todos os artistas concorram em grau de igualdade. Este é um reencontro do real objetivo de pluralizar, de sediar diferentes movimentos e produções culturais existentes no Estado. Aqui, artistas de diferentes regiões gaúchas devem se sentir representados, acolhidos e bem vindos”, explica.
COMO SERÃO AVALIADOS OS PROJETOS?
O Conselho Consultivo Artístico leva em conta critérios de seleção como concepção geral do projeto, relevância conceitual e temática, currículo dos integrantes, inovação, originalidade e ineditismo da proposta, quantidade de apresentações e adequação aos espaços do centro cultural. O Conselho Consultivo Artístico será composto por um representante de cada Colegiado Setorial do Estado, são eles: Artesanato, Audiovisual, Culturas Populares, Livro, Memória e Patrimônio, Museus, Música, Teatro, Circo e Dança.
Não será permitida participação de funcionários da CCMQ, membros do Conselho Consultivo Artística e parentes até 1º grau (ascendente, descendente, colateral - direto = pais, irmãos e filhos). Ainda, 20% das vagas serão destinadas para projetos que envolvam grupos de deficientes, idosos, situação de vulnerabilidade social e LGBT.
CRONOGRAMA
Divulgação da Chamada: 15/09 à 30/09/2016
Período de Recebimento das Propostas: 01 à 31/10/2016
Triagem das Propostas: 01/11 e 03/11/2016
Análise e Seleção das Propostas: 04/11 à 30/11/2016
Divulgação dos Selecionados: 01/12/2016
Agendamento das Propostas Selecionadas: 02/12 à 23/12/2016
Ocupação: A partir de 03/01/2017
SOBRE A CASA:
Casa de Cultura Mario Quintana é uma instituição ligada à Secretaria de Estado da Cultura/Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
A história da Casa de Cultura Mario Quintana tem início em julho de 1980, com a compra do antigo prédio do Hotel Majestic, pelo Banrisul. Em 29 de dezembro de 1982, o governo do Estado adquiriu o Majestic do Banrisul e, um ano mais tarde, o prédio foi arrolado como patrimônio histórico, tendo início, a partir de então, sua transformação em Casa de Cultura. Por meio da Lei estadual nº 7.803 de 8 de julho de 1983, recebeu a denominação de Mario Quintana, passando a fazer parte da então Subsecretaria de Cultura do Estado
Os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana estão voltados para o cinema, a música, as artes visuais, a dança, o teatro, a literatura, a realização de oficinas e eventos ligados à cultura. Eles homenageiam grandes nomes da cultura do Estado do Rio Grande do Sul.

Abrir os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) para toda a classe artística brasileira é a proposta do Ocupa Mario 2017. Grupos, coletivos e artistas independentes devem inscrever seus projetos, sejam eles ensaios ou apresentações, para contar com os teatros, auditório, salas e demais espaços da Casa. As inscrições acontecem de 01 a 31 de outubro de 2016, através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , para onde devem ser enviadas a ficha de inscrição e demais anexos que expliquem as propostas.

O Regulamento e informações sobre a documentação necessária estão disponíveis no site da CCMQ (www.ccmq.com.br) ou pode ser solicitado pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , além de mais esclarecimentos no telefone (51) 3224-2537. Após o envio, esses documentos são avaliados por um conselho artístico que divulgará os selecionados a partir do dia 1 de dezembro.

Anteriormente, o processo de ocupação dos espaços da Casa de Cultura Mario Quintana se dava através de agendamento, o que, nem sempre contemplava todo o Estado, ou mesmo, dependia de uma análise dos objetivos específicos das propostas.

Em 2015 foram realizadas três (3) Chamadas Públicas: Fevereiro, Maio e uma Extra em Setembro, a cada Chamada foram sendo aperfeiçoados os mecanismos de escolha e regulamento, sempre escutando sugestões, a fim de, chegar a um chamamento cada vez mais democrático e transparente.

Agora, com a Camada Pública 2017, os artistas concorrem mais democraticamente, já que todos passarão por avaliação multidisciplinar não importando quais foram os primeiros que solicitaram a ocupação da casa.

De acordo com o diretor da CCMQ, Émerson Martínez Fortes, a ideia é resgatar o real objetivo da instituição, que é de troca de experiências e apropriação dos seus espaços por todos os artistas. “Destaco a importância deste processo seletivo que faz com que todos os artistas concorram em grau de igualdade. Este é um reencontro do real objetivo de pluralizar, de sediar diferentes movimentos e produções culturais existentes no Estado. Aqui, artistas de diferentes regiões gaúchas devem se sentir representados, acolhidos e bem vindos”, explica.

COMO SERÃO AVALIADOS OS PROJETOS?

O Conselho Consultivo Artístico leva em conta critérios de seleção como concepção geral do projeto, relevância conceitual e temática, currículo dos integrantes, inovação, originalidade e ineditismo da proposta, quantidade de apresentações e adequação aos espaços do centro cultural. O Conselho Consultivo Artístico será composto por um representante de cada Colegiado Setorial do Estado, são eles: Artesanato, Audiovisual, Culturas Populares, Livro, Memória e Patrimônio, Museus, Música, Teatro, Circo e Dança.

Não será permitida participação de funcionários da CCMQ, membros do Conselho Consultivo Artística e parentes até 1º grau (ascendente, descendente, colateral - direto = pais, irmãos e filhos). Ainda, 20% das vagas serão destinadas para projetos que envolvam grupos de deficientes, idosos, situação de vulnerabilidade social e LGBT.

CRONOGRAMA

Divulgação da Chamada: 15/09 à 30/09/2016

Período de Recebimento das Propostas: 01 à 31/10/2016

Triagem das Propostas: 01/11 e 03/11/2016

Análise e Seleção das Propostas: 04/11 à 30/11/2016

Divulgação dos Selecionados: 01/12/2016

Agendamento das Propostas Selecionadas: 02/12 à 23/12/2016

Ocupação: A partir de 03/01/2017

SOBRE A CASA:

Casa de Cultura Mario Quintana é uma instituição ligada à Secretaria de Estado da Cultura/Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

A história da Casa de Cultura Mario Quintana tem início em julho de 1980, com a compra do antigo prédio do Hotel Majestic, pelo Banrisul. Em 29 de dezembro de 1982, o governo do Estado adquiriu o Majestic do Banrisul e, um ano mais tarde, o prédio foi arrolado como patrimônio histórico, tendo início, a partir de então, sua transformação em Casa de Cultura. Por meio da Lei estadual nº 7.803 de 8 de julho de 1983, recebeu a denominação de Mario Quintana, passando a fazer parte da então Subsecretaria de Cultura do Estado

Os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana estão voltados para o cinema, a música, as artes visuais, a dança, o teatro, a literatura, a realização de oficinas e eventos ligados à cultura. Eles homenageiam grandes nomes da cultura do Estado do Rio Grande do Sul.

 

Feira oportuniza encontro do público com autores de diversos países

 

Feira oportuniza encontro do público com autores de diversos países
No decorrer dos dias 28 de outubro e 15 de novembro, a 62ª Feira do Livro de Porto Alegre será um ponto de encontro entre os cerca de 30 escritores e escritoras que vêm de diversas partes do mundo para prestigiar a maior feira do livro a céu aberto da América Latina. Os idiomas que irão circular pela Praça são vários, mas o assunto é comum a todos: a paixão pela literatura.
“A participação de tantos nomes internacionais se deu graças ao resultado da junção de forças entre amigos e entidades parceiras da Câmara do Livro. O que possibilitou brindar o público com novos expoentes da literatura, assim como nomes já consagrados”, destacou a coordenadora da programação adulta da Feira do Livro, Jussara Rodrigues.
Os leitores terão a oportunidade de conhecer de perto os autores de seus livros preferidos e ouvir as conversas abertas de novos nomes do cenário literário. Chegam da Argentina, Carlos Aldazábal, Paola Scarfó, María del Pilar Morchio e Julieta Melisa Pron. Jeremias Gamboa vem a Porto Alegre representando o Peru, e Jorge Volpi, o México.
O pesquisador e admirador da música brasileira, Jean Paul Delfino, vem da França, mesmo país de Camille Lebon, Johanna Thomé de Souza e Florence Bonnier. Da Noruega, vem a premiada autora Maja Lunde; da Alemanha , Freya Schwachenwald e Ilhame Peker. Já Patrick Chamoiseau traz o nome da Martinica.
Do continente africano, vem Futhi Ntshingila, que conversa com os leitores brasileiros sobre o seu romance, Sem gentileza, no qual revela a história de um núcleo de mulheres fortes da África do Sul , que lutam e resistem para serem respeitadas numa sociedade machista e com sérias falhas sociais.
Os espanhóis também se farão presentes. Juan Gómes Bárcena, Manel Fontdevilla e Antonio Iturbe vêm à Feira para falar de suas obras e experiências. A vencedora do prêmio Casa de las Américas ( Cartas para minha mãe e Cachorro velho), Teresa Cárdenas, chega de Cuba para contar como recria o mundo revisando os mitos africanos.
E a pluralidade de vozes não para por aqui, pois, além de Giacomo D'Alisa, da Itália , o escritor angolano Valter Hugo Mãe e os portugueses E. M. de Melo e Castro e David Machado registram sua passagem pela Feira do Livro. De Israel, destaca-se o nome de David Grossman, que participa da programação em comemoração aos 10 anos do Fronteiras do Pensamento.
Como região homenageada da 62ª Feira do Livro, Açores traz a Porto Alegre um grupo renomado de escritores que apresentará a literatura açoriana: Joel Neto, Jorge Forjaz, Madalena San-Bento, Eduíno de Jesus, Vasco Pereira da Costa, Paula Sousa de Lima, Urbano Bettencourt, Vasco Pereira da Costa, Nuno Costa Santos e Francisco Cota Fagundes.
A 62ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 28 de outubro a 15 de novembro e é uma realização da Câmara Rio-Grandense do Livro em parceria com Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura. Patrocinadores máster: Braskem, Celulose Riograndense, Grupo Zaffari e BNDES. Patrocínio da Área Infantil e Juvenil: Petrobras. Banco Oficial da Feira: Banrisul, Seja Vero. Apoio Especial: Prefeitura de Porto Alegre. Financiamento: Pró-cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
Sobre a Feira do Livro de Porto Alegre
A primeira edição da Feira do Livro de Porto Alegre ocorreu em 1955 por incentivo do jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias, junto aos livreiros e editores da cidade. O evento, o maior do gênero a céu aberto da América Latina, é considerado referência no país por seu caráter democrático e pela consistência do trabalho que desenvolve na área da promoção da literatura e da formação de leitores. Realizada desde sua primeira edição na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha, a Feira é dividida em Área Geral, Área Internacional e Área Infantil e Juvenil. Centenas de escritores, ilustradores, contadores de histórias participam do evento, que conta com sessões de autógrafos, mesas-redondas, oficinas, palestras e programações artísticas, entre outras atividades. Alguns desses eventos são realizados no Memorial do Rio Grande do Sul, Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Armazém Literário da Corag, Theatro São Pedro e Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa.
Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu a medalha da Ordem do Mérito Cultural, concedida pela Presidência da República, que a reconheceu como um dos mais importantes eventos culturais do Brasil. Um ano antes, havia sido declarada bem do Patrimônio Cultural Imaterial do Estado e, em 2010, foi o primeiro bem registrado, pela Prefeitura de Porto Alegre, como integrante do Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial da cidade.
Sobre a Câmara Rio-Grandense do Livro
A Câmara Rio-Grandense do Livro, organizadora da Feira do Livro de Porto Alegre, é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que tem por finalidade unir entidades e empresas que trabalham pelo livro, promovendo sua defesa e seu fomento, a difusão do gosto pela leitura, a formação de leitores e o fortalecimento do setor livreiro. A entidade conta com mais de uma centena de associados, entre editores, livreiros, distribuidores e outras instituições que se dedicam à produção, à comercialização e à difusão do livro, todas com sede ou filial no Rio Grande do Sul.

 

No decorrer dos dias 28 de outubro e 15 de novembro, a 62ª Feira do Livro de Porto Alegre será um ponto de encontro entre os cerca de 30 escritores e escritoras que vêm de diversas partes do mundo para prestigiar a maior feira do livro a céu aberto da América Latina. Os idiomas que irão circular pela Praça são vários, mas o assunto é comum a todos: a paixão pela literatura.

“A participação de tantos nomes internacionais se deu graças ao resultado da junção de forças entre amigos e entidades parceiras da Câmara do Livro. O que possibilitou brindar o público com novos expoentes da literatura, assim como nomes já consagrados”, destacou a coordenadora da programação adulta da Feira do Livro, Jussara Rodrigues.

Os leitores terão a oportunidade de conhecer de perto os autores de seus livros preferidos e ouvir as conversas abertas de novos nomes do cenário literário. Chegam da Argentina, Carlos Aldazábal, Paola Scarfó, María del Pilar Morchio e Julieta Melisa Pron. Jeremias Gamboa vem a Porto Alegre representando o Peru, e Jorge Volpi, o México.

O pesquisador e admirador da música brasileira, Jean Paul Delfino, vem da França, mesmo país de Camille Lebon, Johanna Thomé de Souza e Florence Bonnier. Da Noruega, vem a premiada autora Maja Lunde; da Alemanha , Freya Schwachenwald e Ilhame Peker. Já Patrick Chamoiseau traz o nome da Martinica.

Do continente africano, vem Futhi Ntshingila, que conversa com os leitores brasileiros sobre o seu romance, Sem gentileza, no qual revela a história de um núcleo de mulheres fortes da África do Sul , que lutam e resistem para serem respeitadas numa sociedade machista e com sérias falhas sociais.

Os espanhóis também se farão presentes. Juan Gómes Bárcena, Manel Fontdevilla e Antonio Iturbe vêm à Feira para falar de suas obras e experiências. A vencedora do prêmio Casa de las Américas ( Cartas para minha mãe e Cachorro velho), Teresa Cárdenas, chega de Cuba para contar como recria o mundo revisando os mitos africanos.

E a pluralidade de vozes não para por aqui, pois, além de Giacomo D'Alisa, da Itália , o escritor angolano Valter Hugo Mãe e os portugueses E. M. de Melo e Castro e David Machado registram sua passagem pela Feira do Livro. De Israel, destaca-se o nome de David Grossman, que participa da programação em comemoração aos 10 anos do Fronteiras do Pensamento.

Como região homenageada da 62ª Feira do Livro, Açores traz a Porto Alegre um grupo renomado de escritores que apresentará a literatura açoriana: Joel Neto, Jorge Forjaz, Madalena San-Bento, Eduíno de Jesus, Vasco Pereira da Costa, Paula Sousa de Lima, Urbano Bettencourt, Vasco Pereira da Costa, Nuno Costa Santos e Francisco Cota Fagundes.

A 62ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 28 de outubro a 15 de novembro e é uma realização da Câmara Rio-Grandense do Livro em parceria com Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura. Patrocinadores máster: Braskem, Celulose Riograndense, Grupo Zaffari e BNDES. Patrocínio da Área Infantil e Juvenil: Petrobras. Banco Oficial da Feira: Banrisul, Seja Vero. Apoio Especial: Prefeitura de Porto Alegre. Financiamento: Pró-cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Sobre a Feira do Livro de Porto Alegre

A primeira edição da Feira do Livro de Porto Alegre ocorreu em 1955 por incentivo do jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias, junto aos livreiros e editores da cidade. O evento, o maior do gênero a céu aberto da América Latina, é considerado referência no país por seu caráter democrático e pela consistência do trabalho que desenvolve na área da promoção da literatura e da formação de leitores. Realizada desde sua primeira edição na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha, a Feira é dividida em Área Geral, Área Internacional e Área Infantil e Juvenil. Centenas de escritores, ilustradores, contadores de histórias participam do evento, que conta com sessões de autógrafos, mesas-redondas, oficinas, palestras e programações artísticas, entre outras atividades. Alguns desses eventos são realizados no Memorial do Rio Grande do Sul, Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Armazém Literário da Corag, Theatro São Pedro e Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa.

Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu a medalha da Ordem do Mérito Cultural, concedida pela Presidência da República, que a reconheceu como um dos mais importantes eventos culturais do Brasil. Um ano antes, havia sido declarada bem do Patrimônio Cultural Imaterial do Estado e, em 2010, foi o primeiro bem registrado, pela Prefeitura de Porto Alegre, como integrante do Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial da cidade.

Sobre a Câmara Rio-Grandense do Livro

A Câmara Rio-Grandense do Livro, organizadora da Feira do Livro de Porto Alegre, é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que tem por finalidade unir entidades e empresas que trabalham pelo livro, promovendo sua defesa e seu fomento, a difusão do gosto pela leitura, a formação de leitores e o fortalecimento do setor livreiro. A entidade conta com mais de uma centena de associados, entre editores, livreiros, distribuidores e outras instituições que se dedicam à produção, à comercialização e à difusão do livro, todas com sede ou filial no Rio Grande do Sul.

Última atualização ( Qua, 26 de Outubro de 2016 15:01 )
 

Projeto Chapeu Acústico promove show 'Tom Jobim Instrumental'

Na 4ª edição do projeto Chapeu Acustico da Biblioteca Pública do Estado (BPE), a atração será o show "Tom Jobim Instrumental", com Luiz Mauro Filho (piano) e Dinho Oliveira (violão), no dia 25 de outubro (terça-feira). O evento ocorre a partir das 19h, no Salão Mourisco e tem acesso mediante contribuição espontânea.

A dupla transforma em música alguns dos sonoros papos jobinianos que teve desde sempre, mostrando um Jobim nada "usual", porém  não menos popular e tão bonito quanto todos os outros. O repertório contempla raridades, como "Two Kites", "Estrada Branca", "Radamés y Pelé", "Marina Del Rey", "Mojave", entre outros "segredos" desvendados pra quem comparecer à apresentação. Com produção de Marcos Monteiro, o Chapeu Acústico é realizado semanalmente, sempre às terças-feiras, tendo como proposta realizar atividades culturais sem depender de verba pública ou privada, com a parceria de artistas profissionais, dispostos a movimentar a cena musical. Nestas apresentações não há cobrança de ingressos, e o chapeu é usado como forma de arrecadação voluntária, como acontece nas performances de rua.

PARTICIPANTES:

Luiz Mauro Filho - Pianista gaúcho de grande talento, circula com desenvoltura pelo jazz, salsa, pop-rock e MPB. Estudou com o pianista, arranjador e maestro Paulo Dorfman, e cursou bacharelado em piano na UFRGS. Recebeu o prêmio de Melhor Instrumentista no III Festival do Choro de Porto Alegre (1993). Participou de três discos e shows de Nei Lisboa, assim como de álbuns e apresentações, do Grupo Vocal Muito Prazer, Maria Helena Andrade, Lucia Helena, Loma,  Lourdes Rodrigues e Gelson Oliveira. Acompanhou o show de Edu Martins e o célebre saxofonista David Lieberman (EUA), no Theatro São Pedro, Débora Blando, Geraldo Flach, Rubens Santos, Fernando do Ó, Giovani Berti, James Liberato, Júlio Herrlein (Chumbinho), Jorginho do Trumpete, Ângela Jobim, Kako Xavier, Henry Lentino, Grupo Vocal Mandrialis, Edilson Ávila, Tito Madi, Mario Falcão, Ná Ozzetti, Delicatessen, Adriana Deffenti e Pedro Mariano. É músico convidado da Orquestra do Teatro São Pedro, Zé Miguel Wisnik, entre muitos outros.

Compõe temas instrumentais e arranjos para outros compositores. Como compositor, teve a canção "Piu-piu" em 3º lugar, do I Festival de Música Instrumental do RS (1996). Participou também do álbum "Brasil 500 Anos", que viajou para Argentina. Atualmente atua como arranjador, compositor, acompanhador entre outros.

Dinho Oliveira - Guitarrista e compositor respeitado no meio musical,  se apresenta semanalmente  no Snack Bar Odeon, entre outras casas de espetáculo. Morou no Rio de Janeiro, onde acompanhou grandes feras da música instrumental brasileira e recentemente desenvolveu o aplicativo para i-Phone chamado Mobi Dic, dicionário de acordes.

Serviço:

Dia: 25 de outubro de 2016 (terça-feira)
Hora: 19h.
Local: Salão Mourisco da Biblioteca Pública do Estado/BPE (Riachuelo, 1190)
Informações: Com o coordenador e curador do projeto, Marcos Monteiro - Telefones 3013-2236 e 9935-0608 e e-mail  Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Entrada: contribuição espontânea, no chapéu.

 

Oktoberfest temática é atração no próximo domingo em Porto Alegre

O clima animado com ótima comida, bebida farta, muita música e diversão da Oktoberfest, uma das festas populares mais celebradas no mundo, vai invadir Porto Alegre no próximo domingo, dia 23 de outubro. O evento temático, que já é uma tradição no interior do Rio Grande do Sul, chega a Capital com a programação do Tô na Rua - Oktoberfest, das 10h às 20h, na Praça Daltro Filho e Rua Demétrio Ribeiro, no Centro.

Direto de Santa Cruz do Sul, as tradicionais bandinhas devem animar o público com apresentações em diversos momentos. Com decoração exclusiva, a ambientação promete ser um diferencial, assim como a competição de trajes típicos que tem como prêmio kits de cerveja Brahma a quem estiver melhor caracterizado. Foodktrucks com pratos da culinária alemã, bazar com 60 marcas autorais e 10 brechós e outros shows diversos também estão entre os atrativos.

Na gastronomia, vale destacar a participação do chef Zi Saldanha, um dos mentores do programa Hell's Kitchen, que vai levar ao evento duas receitas típicas, o sanduíche de porco assado na cerveja dunkel e um schnitzel burger. Os Destemperados também participam do evento com o tradicional wurst, preparado pelo chef Alexandre Baggio. Também serão opções os food trucks Fritten Freud, Yellow Crepes Food Truck, Taco Pub, Maria & Fumaça, Olívia e Palito, Vintage Café Food Truck, Pueblo Food Truck, Ligeirin Sushi, Santo Negrinho e Miss. Boteco.

Música não vai faltar! Além das bandinhas tradicionais, as bandas Alpargatos, B.Kings, The Paradise Sessions, Hotel Cigano, Jonas Alves e Tobia Mazzotti, The Room Brothers e Bibiana Petek tocam no palco principal.

Mais que um projeto cultural de mobilização urbana e valorização dos espaços públicos da cidade, o Tô na Rua tem em seu DNA o caráter social e irá doar 10% de toda a renda com serviços e produtos na Oktoberfest para o Lar Santo Antônio dos Excepcionais. O evento também irá receber doações no local. Uma tenda estará disponível para arrecadar fraldas geriátricas, brinquedos, roupas e kits de higiene pessoal durante a festa.

Sobre o Tô na Rua

Há três anos, o desejo de incentivar os moradores a utilizarem os espaços públicos de forma positiva motivou a produtora Susana Jung a criar o projeto Orla Vive, reunindo em Ipanema diversas opções de bazares e marcas locais. De lá pra cá, seu filho cresceu, e com uma proposta mais abrangente de entretenimento, a produtora criou o Tô Na Rua, projeto de mobilização urbana que já realizou 12 eventos culturais em diversos bairros da Capital.

Tô na Rua - Oktoberfest
Dia 23 de outubro, domingo
Das 10h às 20h
Praça Daltro Filho - Rua Demétrio Ribeiro (Centro)
Entrada Franca


Programação:

10h Abertura

11h Bandinha Alemã

14h Bkings

15h The Room Brothers

16h Bandinha Alemã

17h Alpargatos

18h The Paradise Sessions

19h Bibiana Petek

Última atualização ( Qua, 19 de Outubro de 2016 13:22 )
 
Página 4 de 136

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital