Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Política

Política

Pente-fino no Bolsa Família encontra irregularidades em 1,1 milhão de benefícios

No maior pente-fino já realizado em toda a história do Bolsa Família, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) encontrou inconsistências em 1,1 milhão dos cerca de 13,9 milhões de benefícios pagos pelo governo federal. O resultado se deve ao aprimoramento dos mecanismos de controle do programa, que teve a sua base de dados ampliada para verificação permanente da renda das famílias.

Do total de benefícios que apresentaram indícios de irregularidades, o MDSA determinou o cancelamento de 469 mil (3,3%) e o bloqueio de 654 mil (4,7%). Em todos os casos, foi constatado que a renda das famílias era superior à exigida para ingresso e permanência no programa.

A identificação só foi possível porque o MDSA passou a contar com seis bases do governo federal para cruzamento de dados: Relação Anual de Informações Sociais (Rais), Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Sistema de Controle de Óbitos (Sis obi), Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape) e Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ).

Com as novas ferramentas, será possível fazer análises mensais, reduzindo o tempo médio que o poder público leva para identificar as famílias que têm renda maior do que a declarada ao Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. O MDSA também passará a fazer cruzamentos de informações antes da concessão do benefício.

O pente-fino teve início em junho deste ano, a pedido do ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, que está à frente da pasta desde maio. Além do MDSA, a iniciativa envolve o INSS; Casa Civil da Presidência da República; Ministério da Fazenda; Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão; Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União e Caixa Econômica Federal.       

As rotinas de controle do Bol sa Família incluem ainda batimentos complementares com informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Tribunal de Contas da União (TCU). A meta do MDSA é ampliar ainda mais as ferramentas de controle, a fim de qualificar o acesso ao programa. A intenção é garantir que o benefício seja destinado a quem realmente precisa.
O Bolsa Família é voltado para famílias extremamente pobres (renda per capita mensal de até R$ 85) e pobres (renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 170). Ao entrarem no programa, as famílias recebem o benefício mensalmente e, como contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação. O valor repassado a cada família depende de fatores como o número de membros, a idade de cada um e a renda declarada no Cadastro Único.

O pente-fino:
•    469 mil benefícios cancelados (3,35%) por subdeclaração de renda;
•    654 mil benefícios bloqueados (4,7%) por subdeclaração de renda;
•     Convocação de 1,4 milhão de famílias para averiguação cadastral (janeiro de 2017);
•    Bloqueio de benefícios de 13 mil famílias identificadas como doares de campanha na prestação de contas de candidatos nas Eleições de 2016;
•    Redução do prazo para identificação de subdeclaração de renda;
•    Obrigatoriedade do CPF para a inscrição no Cadastro Único;

Municípios com maior número absoluto de bloqueios:


Municípios com maior número relativo de bloqueios:


Municípios com maior número absoluto de cancelamentos:


Municípios com maior número relativo de cancelamentos:


 

Teori suspende operação da PF que prendeu policiais do Senado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, determinou hoje, 27 de outubro, por meio de uma liminar (decisão provisória), a suspensão da Operação Métis, deflagrada pela Polícia Federal. O ministro também determinou que todo o processo relacionado à operação que está na 10ª Vara da Justiça Federal, no Distrito Federal, seja transferido para o STF.

A operação prendeu na sexta-feira (21) o diretor da Polícia do Senado, Pedro Ricardo Araújo de Carvalho junto com outros três policiais legislativos, suspeitos de prestar serviço de contrainteligência para ajudar senadores investigados na Operação Lava Jato e em outros casos envolvendo políticos. Todos já foram soltos.

Teori concedeu a liminar após analisar o pedido de um dos policiais presos, Antônio Tavares dos Santos Neto. A defesa do policial argumentou que houve usurpação da competência do STF na ação que autorizou a busca e apreensão nas dependências do Senado, além de envolver investigação que pode atingir parlamentares.

“Diante da relevância dos fundamentos da reclamação, é de se deferir medida liminar para que esta Suprema Corte, tendo à sua disposição o inteiro teor das investigações promovidas, possa, no exercício do mandamento constitucional, decidir acerca da usurpação ou não de sua competência, bem como sobre a legitimidade ou não dos atos até agora praticados”, diz Teori em sua decisão.

O ministro do STF também afirmou na liminar que ficou demonstrada a intenção da Operação Métis de investigar parlamentares que têm foro privilegiado e só podem ser investigados com autorização do Supremo.

“Nessa linha, o exame dos autos na origem revela, em cognição sumária, que, embora a decisão judicial ora questionada não faça referência explícita sobre possível participação de parlamentar nos fatos apurados no juízo de primeiro grau, volta-se claramente a essa realidade. Aliás, os documentos trazidos pelo reclamante reforçam o que a própria representação da autoridade policial denuncia para justificar as medidas cautelares deferidas, ou seja, ordens ou solicitações que partiram de senadores”, escreveu Teori.

Crise entre poderes

A Operação Métis deflagrou uma crise entre os Poderes. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), criticou a decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, no Distrito Federal, que autorizou a operação no Senado e ordenou a suspensão das atividades funcionais dos acusados.

Para o presidente do Senado, a decisão de realizar uma operação nas dependências da Casa não seria da competência de um juiz de primeira instância e deveria passar pelo Supremo.

O peemedebista também criticou o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Após a operação, Moraes disse que os policiais do Senado “extrapolaram o que seria de sua competência” e “realizaram uma série de atividades direcionadas à obstrução da Justiça”.

Em entrevista coletiva na segunda-feira (24), Renan Calheiros disse que Moraes não tem se portado como ministro de Estado, "no máximo" como um "chefete de polícia" e chamou Vallisney de “juizeco”.

As declarações de Renan foram rebatidas pela presidente do STF, Cármen Lúcia, que chegou a dizer que se um juiz é agredido ela também se sente agredida e que o Judiciário deve exigir respeito.

ADPF

Ontem (26), o Senado protocolou uma arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) no Supremo, que visa a anular os atos da Operação Métis e pediu uma medida liminar para a devolução imediata de todos os equipamentos e documentos que tenham sido apreendidos pela Polícia Federal nas dependências do Senado.

Os advogados da Casa argumentaram que a operação constitui intimidação e constrangimento ao trabalho do Poder Legislativo e fere o princípio de separação dos Poderes, uma vez que a PF é órgão do Poder Executivo.

Em anúncio aos senadores no plenário da Casa, Renan Calheiros também comunicou que vai entrar com uma representação contra o juiz Vallisney de Souza Oliveira, que autorizou a Operação Métis, no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Segundo Renan, o juiz deverá explicar o que motivou sua decisão. O CNJ ainda não recebeu a representação contra Vallisney.

Segurança pública

O presidente Michel Temer confirmou que vai se reunir nesta sexta-feira (28) com os presidentes do Senado, Renan Calheiros, da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do STF, Cármen Lúcia, para discutir segurança pública. O encontro poderia não ocorrer após o clima de mal-estar entre Renan e Cármen Lúcia, criado depois que ambos fizeram críticas públicas e discordaram sobre a atuação da Justiça ao determinar a prisão de policiais legislativos durante operação da Polícia Federal no Senado. A reunião ocorrerá no Palácio Itamaraty, em Brasília.

Edição: Carolina Pimentel

Última atualização ( Qui, 27 de Outubro de 2016 14:04 )
 

Missão gaúcha à Europa visa garantir investimentos no Rio Grande do Sul

O fortalecimento das relações do Rio Grande do Sul com os estados da Renania Palatinado e Baden Wurttemberg e a participação do Rio Grande do Sul no 34º Encontro Econômico Brasil - Alemanha, entre 17 e 19 de outubro, em Weimar, irão nortear a primeira etapa da missão gaúcha à Europa.

"É uma política de Estado para que possamos mostrar o potencial e as oportunidades do Rio Grande do Sul. Além disso, é uma política de atração de investimentos para gerar empregos, renda e, consequentemente, desenvolvimento, como já aconteceu em outras iniciativas", afirma o secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, cuja pasta organiza as agendas. Neste ano, em missão à Argentina, o governo gaúcho buscou o fortalecimento do Mercosul.

Em 2017, a 35ª edição do evento ocorrerá em Porto Alegre, entre 12 e 14 de novembro, reunindo líderes políticos e empresariais. A expectativa é a de que pelo menos 500 empresários alemães venham à capital e possam estabelecer parcerias e firmar novos investimentos no Rio Grande do Sul. O evento ocorre de forma alternada, um ano em cada país. A ação é planejada por um grupo de trabalho capitaneado pela Fiergs e Câmara Brasil-Alemanha, Consulado Geral da Alemanha, governo do Estado, prefeitura de Porto Alegre e demais entidades. É uma realização da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Federação das Indústrias Alemãs (BDI), com o apoio da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK). 
A comitiva, liderada pelo governador José Ivo Sartori, cumprirá uma série de agendas políticas e técnicas na Alemanha. No dia 16, haverá um jantar em Erfurt, que será oferecido pelo Ministério de Economia, Ciência e Sociedade Digital da Turíngia. Em Weimar, no dia 17, Sartori participa da abertura do Encontro Brasil-Alemanha. Na sede do governo de Erfur, o secretário-geral de Governo, Carlos Búrigo, participa de reunião sobre gestão. À tarde, o chefe do Executivo terá audiência com representantes do governo de Dresden. 
No dia 18, em Mainz, está programada uma reunião-almoço com a secretária da Economia, Agricultura, Transporte e Vitinicultura, Daniela Schmitt. O Rio Grande do Sul é o maior produtor de uva do Brasil. O estado responde por cerca de 90% de toda a produção nacional, conforme dados do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). Em terras gaúchas, existem em torno de 15 mil propriedades vitícolas que abrangem área total de 40 mil hectares. A maior parte delas está localizada na Serra, no Nordeste do estado, e na Região da Campanha, na Metade Sul. 
À tarde, haverá uma visita ao Instituto Fraunhofer de Microtécnica - a pauta será cooperação Frauhnofer e Rio Grande do Sul, através da Cientec. Os integrantes da comitiva conhecerão ações desse instituto na área médica como microfluídos, sondas e sensores técnicos, tecnologia em nanopartículas e tecnologias do futuro. 
Na sequência, a comitiva se desloca para Sttugart, onde, no dia 19, o governador será recebido no Ministério da Economia. Em Karslruhe, será realizada uma visita ao Instituto de Tecnologia (KIT), a chefe do departamento de estratégicas internacionais e informação e responsável para América e Pacífico, Pascale Kohler, receberá o governador e comitiva para uma reunião sobre parcerias existentes entre KIT e universidades gaúchas nas áreas de eletroeletrônica, tecnologia da informação e pesquisa de materiais e sobre ampliação dessa parceria no Estado, bem como apresentação dos Parques Tecnológicos do RS. Logo após, será realizada visita ao projeto-piloto de transformação de biomassa em energia - bioliq e na incubadora KIT. O deslocamento da comitiva para a França ocorre ainda no dia 19. 

França

O foco da agenda em Paris, no dia 20, será o setor primário e o fortalecimento das relações. A programação prevê encontro com associações de pequenos e médios produtores rurais, onde serão apresentadas experiências das certificações nas propriedades. O governador Sartori e a comitiva também serão recebidos pelo embaixador do Brasil em Paris, Paulo Campos. 
A agenda prevê encontro com o presidente da empresa Lactalis, Daniel Jaouen. A empresa é considerada a maior captadora de leite do Rio Grande do Sul, cerca de 22% do total produzido. Recentemente, a marca francesa anunciou a intenção de aplicar R$ 120 milhões na ampliação das fábricas de leite de Teutônia, Santa Rosa, Três de Maio e Ijuí e encontra-se em tratativas com o governo do Estado. O grupo chegou ao país em 2013, quando arrematou 11 laticínios da BRF e quatro unidades da LBR, cujo montante aplicado alcançou R$ 2,05 bilhões. No RS tem cinco unidades industriais e um centro de distribuição, em Fazenda Vilanova. 
Na Câmara Brasil-França, o governador apresentará as potencialidades do Estado a um grupo de empresários. A agenda prevê ainda encontro com a empresa GEFCO e com a direção mundial do Grupo Carrefour. Em junho, executivos franceses estiveram em Porto Alegre e se reuniram com Sartori e com empresários gaúchos para falar sobre os planos de expansão da rede para o Rio Grande do Sul, bem como a nova estratégia de atuação. 

Itália

No dia 21, em Veneza, último dia do roteiro, estão programados encontros com o governador do Estado do Vêneto, Lucca Zaia, no Palácio do Governo. Logo após, acontecerá uma apresentação com aproximadamente 30 pessoas para um público político e empresarial sobre oportunidades no Rio Grande do Sul. 
O evento é organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Itália e o Consulado Italiano. 
Além do estreitamento de relações com a Itália, que desenvolveu expertise empresarial e técnico-científica em setores estratégicos para o RS, como o setor metal-mecânico, automotivo, agroindustrial e energias, no médio prazo, podem ainda ser prospectadas oportunidades no setor aeroespacial e de defesa, área na qual já houve exitosa experiência de intercâmbio tecnológico através do Projeto AMX da Embraer. 

Viagem

Integram a comitiva secretários de Estado, parlamentares, dirigentes de entidades setoriais e empresários e representantes de órgãos da imprensa. Os integrantes do governo do Estado terão as despesas pagas pelos respectivos órgãos. Já os representantes das entidades custearão seus gastos com passagem, alimentação e hospedagem.

 

Aprovado pedido de licença da vice-prefeita

Canoas - Foi aprovado, nesta terça-feira, 4 de outubro, o pedido de licença não remunerada à vice-prefeita Beth Colombo, no período de 5 a 30 de outubro, para tratar de interesse particular. O requerimento foi encaminhado pelo Executivo juntamente com ofício de comunicação de férias do prefeito Jairo Jorge, entre os dias 6 e 27 deste mês. Na ausência do prefeito e da vice-prefeita, o presidente da Câmara, Paulo Ritter (PT), assumirá a Prefeitura interinamente. No Legislativo, assume a condução dos trabalhos o vereador Juares Hoy (PTB), 1º vice-presidente.

Comunicações de Liderança

ELEIÇÕES – Os vereadores utilizaram o espaço dedicado às Comunicações de Liderança na sessão desta terça-feira para comentar o resultado das eleições municipais. Paulinho de Odé (PT) destacou a importância de uma mulher fazer parte da composição da Câmara na próxima legislatura, referindo-se à eleição da candidata Maria Eunice (PT). “Representa a vitória da igualdade e da paridade”, salientou.

Vereador mais votado nesta eleição, Dario da Silveira (PDT) agradeceu pelo apoio recebido da população e salientou ter feito uma campanha “com base na política de resultado”. José Carlos Patricio (PSD) elogiou o trabalho dos vereadores da atual legislatura, avaliando que todos honraram seus mandatos. Ressaltou que os parlamentares novos, que ingressarão no Legislativo a partir do próximo ano, têm uma grande responsabilidade pela frente. O vereador Patteta (PP) também agradeceu o apoio e a confiança nele depositados. Julio Barbosa (PP) lembrou a sua trajetória política no município e a sua participação em quatro administrações municipais.

O vereador Airton Souza (PP), que não concorreu à reeleição, cumprimentou os vereadores eleitos e salientou que a atividade parlamentar envolve muita dedicação. Segundo mais votado no pleito, Alexandre Gonçalves (PPS) ressaltou que o resultado demonstrou que a comunidade avaliou como positivo o trabalho desenvolvido pelo seu mandato nos últimos quatro anos. Francisco da Mensagem (PSB) afirmou que irá torcer para que os novos vereadores "desenvolvam um ótimo trabalho e ajudem a construir uma bela história na cidade”.

O vereador Aloisio Bamberg (PCdoB) comentou que, apesar das adversidades durante a campanha, conseguiu eleger-se para o sétimo mandato e fez um agradecimento aos canoenses que confiam em seu trabalho. Dr. Pompeu (PTB) destacou a grande responsabilidade do cargo e disse que terminará o mandato dando continuidade “ao trabalho árduo e de compromisso com a cidade”. Betinho do Cartório (PTB) ressaltou as dificuldades da eleição deste ano, “em especial pelo desencanto da população com a política”. Afirmou que a Câmara Municipal de Canoas é referência no Estado pelo trabalho desenvolvido por seus parlamentares.

CORSAN – O vereador Juares Hoy (PTB) comentou a correspondência enviada pela Corsan aos moradores de Canoas solicitando que as residências façam a ligação do esgoto e disse que o documento não contém instruções claras sobre os procedimentos a serem adotados. Afirmou que apresentou a situação em reunião com o gerente da companhia no município. O parlamentar também mencionou a prisão de um procurador do Ministério Público Federal lotado em Canoas e defendeu mudanças no Código de Processo Penal.

 

Vereadores mantêm seis vetos do Executivo

Canoas  - Na sessão desta terça-feira, 27 de setembro, os vereadores votaram pela manutenção de seis vetos do prefeito a projetos de lei aprovados pela Câmara. Quatro deles receberam veto total por apresentarem vício de iniciativa e invadirem a competência do Poder Executivo.

Autismo

De autoria do vereador Alexandre Gonçalves (PPS), o projeto de lei 49/2016, que autoriza o poder Executivo a criar uma Política Municipal de Atenção à Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo – TEA, recebeu o veto total do prefeito por apresentar vício formal de iniciativa, estando em desconformidade com o §1º do art. 3º e os incisos I e II do parágrafo único do art. 46 da Lei Orgânica Municipal. Segundo o Executivo, já existem no ordenamento jurídico federal e municipal leis que tratam da matéria. Já o PL 48/2016, também de autoria de Alexandre Gonçalves, foi vetado parcialmente. A proposição “dispõe sobre o reconhecimento da pessoa com autismo como pessoa com deficiência no município de Canoas, para fim da plena fruição dos direitos previstos pela legislação vigente”. Nos art. 2º e 3º do projeto, no entanto, verificou-se vício de inconstitucionalidade por interferir na gestão do município e na competência privativa do chefe do Executivo.

Câmeras

O projeto de lei 10/2016, que trata das normas para a instalação de câmeras de vigilância em pontos de descarte irregular de resíduo e dá outras providências, apresentado pelo vereador Aloisio Bamberg (PCdoB), recebeu veto total. O Executivo apontou vício de inconstitucionalidade de ordem material e formal, uma vez que cabe ao prefeito a definição das políticas públicas a serem implementadas pelo município, principalmente quando geram despesas ou atribuições para suas secretarias e órgãos. Já o PL 09/2016, que dispõe sobre a instalação de placa informativa com o endereço do Ecoponto em locais com maior incidência de descarte irregular de resíduo, também apresentado por Bamberg, teve veto parcial.  Foi barrado o art. 2º, que estabelece o prazo de 90 dias para regulamentação, invadindo a competência do Executivo.

Acessibilidade

Outra proposição que recebeu veto total foi o PL 75/2016, que assegura às pessoas com deficiência o atendimento, bem como a devida acessibilidade, em centro de saúde, unidade básica de saúde ou unidade de saúde da família mais próximos de sua residência. A proposta tem como autor o vereador Ivo Lech (PMDB). A justificativa do veto aponta que o projeto carece de constitucionalidade por tratar de providência de natureza administrativa de competência privativa do Chefe do Executivo. Também destaca que já existe legislação federal e municipal sobre o tema.

Libras

De autoria do vereador Aloisio Bamberg, o projeto de lei 14/2016 recebeu veto total. A proposição estabelece o ensino obrigatório da Língua Brasileira de Sinais - Libras, desde a Educação Infantil até o Ensino Fundamental, como disciplina curricular obrigatória para crianças surdas e ouvintes matriculadas nas instituições privadas e públicas de ensino. “O tema proposto no projeto de lei em comento interfere diretamente na organização administrativa do Poder Executivo, especificamente na Secretaria Municipal da Educação (SME)”, diz a justificativa do veto. O texto ressalta que a inclusão da matéria na grade curricular é providência de natureza administrativa, de competência privativa do prefeito.

Relatório de Gestão Fiscal do 2º quadrimestre é apresentado em audiência

A Comissão de Finanças e Orçamento, presidida pelo vereador Alexandre Gonçalves (PPS), realizou audiência pública, nesta quinta-feira, 29 de setembro, sobre o Relatório de Gestão Fiscal do município referente ao 2º quadrimestre de 2016. A apresentação dos dados foi feita pelo diretor financeiro da Secretaria Municipal da Fazenda, Tabajara Vieira.

O Relatório aponta uma receita corrente líquida de R$ 1.206.364.635,27 e um valor menor de arrecadação de aproximadamente R$ 166,4 milhões em relação à expectativa. A despesa liquidada somou R$ 993,6 milhões e houve um déficit orçamentário em torno de R$ 30,6 milhões.Os gastos com Educação e Saúde totalizaram, respectivamente: R$ 149,2 milhões (31,18% da receita) e R$ 86,2 milhões (18,01%), ambos percentuais acima do mínimo estabelecido em lei. Os gastos com pessoal totalizaram 36,72% da receita corrente líquida (a lei estipula o limite de 54%), o equivalente a R$ 442.970.390,46. Já a dívida consolidada líquida ficou em R$ 220.939.137,51 (18,31%), enquanto o limite definido por Resolução do Senado Federal é de 120%.

 

Última atualização ( Sex, 30 de Setembro de 2016 09:42 )
 

Câmara recebe o projeto de Lei Orçamentária para 2017

Canoas - O Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) - 2017 foi entregue na Câmara, nesta quinta-feira, 29 de setembro, pelo prefeito em exercício, o procurador-geral do município, Ricardo Zamora, ao presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Alexandre Gonçalves (PPS). A receita consolidada do município para o exercício econômico-financeiro para o próximo ano monta em R$ 1.713.742.217,00, correspondendo a uma variação nominal de 2,63% em comparação à receita orçada para 2016.

Em relação à receita prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada pelos vereadores no início de setembro, houve um incremento na ordem de R$ 13 milhões, referentes à previsão de arrecadação de ICMS. Quanto à despesa, a proposta garante os percentuais constitucionais destinados à educação e à saúde. Considerando as transferências legais, o orçamento de cada pasta soma, respectivamente, R$ 261.460.507,00 e R$ 437.104.929,00.

Os investimentos, na ordem de R$ 208.191.584,00, representam 12,15% da receita consolidada. Os maiores aportes estão sendo direcionados para os programas de infraestrutura, como ações de manejo de águas pluviais, visando melhorias nas áreas de canalização e drenagem urbana, e para a implantação do Aeromóvel.

O projeto será apresentado à comunidade em audiência pública no Legislativo. A votação da matéria precisa acontecer antes de 30 de novembro, último dia para que o projeto retorne ao Executivo para sanção do prefeito. A entrega do documento foi acompanhada pela secretária municipal de Planejamento e Gestão, Tatiana Carpter, e pela adjunta da pasta, Cristina Sabka.

LOA

A Lei Orçamentária Anual estima a receita e fixa a despesa da administração municipal de acordo com a previsão de arrecadação. Aloca os montantes orçamentários necessários para dar cumprimento às políticas públicas, a partir das diretrizes do orçamento do município, identificando os valores referentes a cada despesa do governo, inclusive as de pessoal e seguridade.

 
Página 3 de 67

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital