Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Geral

Geral

Revitalização do asfalto da Dr. Barcelos começa na próxima segunda

Canoas - Dentro do projeto de revitalização da Rua Doutor Barcelos, no Centro da cidade, começam na próxima segunda-feira, 24 de julho, os serviços de recuperação asfáltica no trecho entre as ruas Coronel Vicente e Araçá.

A fresagem do asfalto, remoção de camadas via ferramenta de corte, será realizada em diferentes etapas, sendo necessário o bloqueio do trânsito no trecho onde for executado o serviço. Na segunda, será proibido o estacionamento na região. A pista entre a Cel Vicente e a Lenine Nequete, sentido Araçá, ficará bloqueada para o trânsito. A Fiscalização estará presente no local ordenando o fluxo de veículos. A pista contrária não terá sentido duplo, sendo o trânsito devidamente desviado pelas ruas do entorno. A fresagem completa deve ser concluída em três dias.

Posterior, ocorrerá a aplicação de novo concreto asfáltico. O prazo estimado para a conclusão dos serviços de pavimentação é de 15 dias úteis.

 

PETS: Saiba o que fazer em casos de intoxicação

Curiosos e travessos, cães e gatos são suscetíveis à ingestão de substâncias perigosas como plantas e produtos de limpeza. Segundo o Centro de Informação Toxicológica do RS (CIT-RS), os animais de companhia, principalmente cães e gatos, são responsáveis por 90% dos casos registrados.

A especialista da Hercosul Alimentos, a veterinária Esther Reinheimer, explica que os sintomas de uma intoxicação são parecidos com o de outras doenças, o que requer ainda mais atenção. “Uma simples indisposição alimentar pode causar vômitos nos animais, porém, esse sintoma aliado a outros como febre, anorexia, diarreia, salivação excessiva e convulsões, por exemplo, indicam que o pet pode estar intoxicado”, conta.

No entanto, todo cuidado é pouco, pois cães ou gatos podem não apresentar todos os sintomas de uma vez só. Porém, em casos de intoxicação, se o tutor observar bem vai notar que algo não está bem com o pet, isso inclui depressão e tristeza também.

O primeiro passo é levar ao veterinário com urgência para que as medidas sejam tomadas o mais rápido possível, evitando possíveis sequelas ou até o óbito do animal. “Muitos pets não suportam o nível de toxicidade de uma planta ou de um desinfetante, por exemplo. Além disso, além da contaminação oral, pode ocorrer a intoxicação mista - que afeta também a pele do bichinho”, alerta.

Animais peçonhentos, abelhas, marimbondos, medicamentos armazenados incorretamente, plantas, desinfetantes de vaso sanitário, cosméticos, bebidas alcoólicas, cigarros e gás de cozinha são apenas alguns dos riscos que encontrados dentro da casa do tutor. “O perigo está muito perto da gente e na primeira distração somos surpreendidos pelo acidente. Um simples chocolate, por exemplo, pode causar uma séria intoxicação, pois esse alimento é extremamente tóxico para os cães”, completa.

Os gatos são mais sensíveis às substâncias tóxicas e muito seletivos na ingestão de qualquer coisa. Porém, o ato de lamber os pelos pode acarretar a intoxicação de algum produto utilizado na limpeza da casa. Optar por materiais atóxicos é uma prova de prevenir. Além disso, são muitos os produtos desenvolvidos especialmente para quem tem pets em casa.

“As medidas preventivas podem evitar um acidente grave com seu bichinho de estimação. O banheiro, a cozinha e a área de serviço devem estar trancados ou sem exposição de produtos químicos. Informe-se sobre quais plantas são tóxicas para os animais e evite tê-las em casa”, diz. Antúrio, Comigo-ninguém-pode, Azaleia, Lírio e Lírio da Paz e a Violeta são alguns exemplos de plantas com alta toxicidade para os animais.

Outro erro comum dos tutores é a automedicação. “A única pessoa capaz de receitar um remédio para o pet é o veterinário, pois o profissional leva em consideração não somente os sintomas, mas o peso, o porte e outros fatores que a maioria desconhece”, avalia.

A decisão por adotar ou comprar um animal de estimação influencia positivamente na vida de todos os envolvidos. Porém, é preciso estar ciente da responsabilidade que isso envolve. “Quem ama, cuida. Além disso, prevenir acidentes e incidentes é um grande ato de amor”, conclui Esther.

Última atualização ( Sex, 30 de Junho de 2017 11:13 )
 

Vem aí a Semana Nacional do Ensino da Música

A ANAFIMA – Associação Nacional dos Fabricantes da Indústria da Música capitaneia em 2017 um projeto grandioso para músicos, professores de música e interessados em aprender a tocar um instrumento em todo o País. Entre os dias 19 e 25 de junho, a Semana Nacional do Ensino da Música deve movimentar escolas, profissionais independentes e lojas de música de todo o país, com aulas gratuitas de instrumentos e canto, oferecidas em todos os estados brasileiros.

“No ano passado, trabalhamos o Dia Nacional do Ensino da Música, inspirado no 'National Learn to Play Day' ('Dia Nacional para Aprender a Tocar'), do Reino Unido”, conta Daniel Neves, presidente da entidade. “Este ano ampliamos o escopo do projeto para uma semana toda e prevemos mais de 500 eventos entre aulas, palestras e workshops gratuitos distribuídos em todo o território brasileiro”, acrescenta.

Segundo os organizadores, a semana visa ressaltar a importância do ensino da música na formação do cidadão e despertar o interesse pela prática da música, seja ela vocal ou através de instrumentos musicais.

O foco é utilizar a educação como instrumento para gerar a paixão pela música. “Queremos despertar no músico a motivação em compartilhar seus conhecimentos e, na população geral, o interesse em participar de uma experiência inicial e marcante, o que será motivador para que possam dar sequência nos estudos”, diz Neves.

Benefícios do aprendizado da música

Cada vez mais estudos científicos mostram os benefícios de aprender a tocar um instrumento. O mais comum é relacionado ao aprendizado escolar. Pesquisas mostram que estudar e praticar a música aumenta a capacidade dos alunos para aprender. Outra vantagem reconhecida por cientistas sobre o estudo de música são os impactos diretos sobre os resultados dos testes padronizados e aprendizado de novas línguas.

Outro dado interessante: de acordo com os editores da  revista americana Scientific American, estudantes do ensino médio com o mínimo de quatro anos de estudo musical têm uma performance escolar 40% maior do que os alunos que estudaram entre um ano e seis meses. O aprendizado de línguas mais rápido é outro destaque para quem quem estuda música, visto que os alunos aprendem a discernir campo e tempo.

Por meio de uma mobilização geral de toda a cadeia produtiva da música, utilizando os meios de Comunicação de massa e técnicas de inbound marketing para atingir a população.

Como funcionará o projeto

O tema da semana em 2017 é “A música toca o Brasil”. “Damos enfoque à palavra ‘toca, ressaltando os aspectos emocionais causados pela música, a alegria de se tocar um instrumento ou de ouvir a música tocar na rádio e em outros players. Queremos lembrar que a música é parte indissociável da cultura de todo brasileiro”, explica Neves.

A meta é termos pelo menos uma atividade em cada um dos 26 estados brasileiros + Distrito Federal.

O projeto é dividido em duas partes: conseguir aproximar pessoas para ministrarem os cursos gratuitamente e aproximar pessoas interessadas em cursar. O website do evento (www.ensinodamusica.com.br) já está no ar e nele é possível se inscrever para oferecer uma aula no botão “quero ensinar música” ou se inscrever em uma aula gratuita no botão “quero aprender música”. O site conta também com um mapa do Brasil, em que todos os eventos estarão registrados. “Assim é possível pesquisar por cidade e região para verificar o que está disponível perto de onde você mora. Além disso, com o dinamismo da tecnologia, nesse ano teremos também a possibilidade de as aulas serem online”, esclarece Neves.

O programa conta com uma vasta rede de conectores, como fabricantes, escolas de música, escolas de ensino regular, escolas de luthieria, conservatórios, estúdios de música, empresários de bandas e outros. “Estamos também conversando com artistas e veículos de comunicação para contar com seu apoio, uma vez que o projeto não tem fins lucrativos e certamente beneficia toda a sociedade”.

O programa conta com patrocínio da Namm Foundation, dos EUA, que acredita no projeto e investe na valorização da música em todo o mundo. “A verba está sendo investida na concepção e comunicação. A mensagem precisa chegar ao público e por isso estamos elaborando um projeto enxuto, mas bem elaborado. Teremos vídeos, materiais de comunicação para a escolas e outras formas de exposição que visam amplificar o alcance do programa e oferecer a todos os brasileiros a chance de participar”, finaliza Daniel.

Última atualização ( Ter, 11 de Abril de 2017 11:01 )
 

Junior Achievement expande para o interior do RS

Boa notícia: A Junior Achievement RS  está levando os seus programas de educação empreendedora para o interior do Estado.  Acaba de fechar parceria com as associações comerciais de Caxias do Sul e de Horizontina para implantar na rede escolar programas como o MINIEMPRESA, carro-chefe da organização, que oferece aos alunos a oportunidade de participarem  de uma experiência teórica e prática em economia e negócios. A garotada desde cedo aprende a dar os primeiros passos para montar e operar uma empresa, chegando ao grande momento de criar e comercializar o seu próprio produto.  Neste ano, a Feira da Miniempresa acontece nos dias 27 e 28 de maio, no Shopping Iguatemi.

Os jovens também serão beneficiados com programas de sustentabilidade, de preparação ao mercado de trabalho, em educação financeira e em inovação tecnológica, entre outros.

 

Entidades sindicais apoiam proposta da OAB substitutiva à Reforma da Previdência

Na manhã desta quarta-feira, 15, após reunião realizada em Brasília (DF) com representação da Associação Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), um grupo de entidades sindicais de 12 estados (CE, ES, DF, GO, MA, MG, PA, PR, RJ, RS, SC e SP), lideradas pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (Contratuh), decidiu apoiar o documento criado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em substituição à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata da Reforma da Previdência.

“Nos reunimos com um representante da Anfip para termos total entendimento da reforma previdenciária e, depois de um amplo diálogo interno, decidimos que seria de extrema importância para os trabalhadores brasileiros nos unimos à OAB para tentar mudar o formato da PEC 287. Se aceitarmos teor da proposta da forma que foi colocada, iremos sucatear a Seguridade Social e se aposentar será quase impossível”, alertou Moacyr Roberto Tesch Auersvald, presidente da Contratuh e diretor da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST).

Entre as mudanças sugeridas pelo substitutivo, estão a eliminação de idade mínima obrigatória para toda e qualquer aposentadoria, a vedação de remissões e de anistias para devedores da Previdência Social e a vedação de que os recursos da Seguridade Social possam ser desviados ou desvinculados de sua finalidade constitucional (o que afasta os impactos negativos da Desvinculação das Receitas da União - DRU no equilíbrio orçamentário do sistema). Mas as entidades fazem ressalvas ao documento da OAB, como a questão da não acumulação de pensão com aposentadoria no mesmo regime e a igualdade de idades entre homens e mulheres -- hoje a diferença do só existe para trabalhadores rurais e deficientes.

“O contexto dessa reforma é o de sempre: o mercado buscando novos mecanismos de auferir lucro, pois a previdência tem uma parte significativa da iniciativa privada. A proposta de reforma precisa ser mais inclusiva, em prol da justiça social. Não se pode apenas retirar direitos adquiridos”, explicou o auditor fiscal da Previdência Floriano Martins de Sá Neto, vice-presidente de Política de Classe da Anfip.

Entidades discordam de “rombo na Previdência”

A Reforma da Previdência é um dos temas mais polêmicos do governo Michel Temer. Em proposta enviada pelo governo ao Congresso Nacional no fim de 2016, a idade mínima para todos os trabalhadores aposentarem será de 65 anos e haverá uma regra de transição a partir dos 50 anos. Segundo o governo, a Previdência fechou 2016 com um rombo de R$ 149,73 bilhões.

“Esse discurso é falacioso. Déficit da Previdência não existe, pois ela não tem receita única e faz parte da Seguridade Social. Se formos falar em déficit ou superávit, tem que ser num conjuntos da Seguridade. Em 2015, por exemplo, em plena crise econômica, somando receitas e despesas, houve saldo de 11 bilhões de reais”, explicou Floriano de Sá.

 

Compostagem doméstica: fácil e sustentável

A compostagem é o processo de reaproveitamento da matéria orgânica encontrada no lixo, na intenção de transformá-la em uma fonte de nutrientes que quando misturada a terra funciona como fertilizante. A técnica muito utilizada em grande escala na agricultura também pode ser reproduzida domesticamente e aplicada em plantas, hortas e jardins.

Para Bruno José Esperança, diretor geral da Esalflores, maior floricultura e Garden Center do Sul do país, o processo de compostar é um grande aliado no cuidado com o meio ambiente, pois colabora com a redução dos resíduos orgânicos produzidos em residências. “A compostagem permite que restos de alimentos e outros tipos de sobras orgânicas sejam reaproveitadas contribuindo com a diminuição do volume de compostos descartados em lixões. Além de evitar a utilização de fertilizantes sintéticos”, explica Bruno.

O especialista ainda alerta que é preciso ter cuidado com os resíduos utilizados. “Nem todos os restos orgânicos podem ser utilizado na compostagem. Lixo comum, restos de carne, laticínios e óleos não são indicados. Já restos de verduras e legumes, cascas de frutas, borras de café, cascas de ovos e serragem são ideais”, detalha.

Passo a passo para montagem da composteira caseira

O processo de compostagem doméstica é simples e exige apenas 3 caixas plásticas escuras (sendo uma com tampa), folhas secas e galhos pequenos e cerca de 100 minhocas. “As caixas serão empilhadas em três níveis. Nas duas caixas superiores será feira a compostagem, elas devem ter pequenos furos que serão responsáveis pela comunicação entre uma caixa e outra. A caixa inferior será utilizada apenas para coletar o resíduo líquido orgânico”, explica Esperança.

O primeiro passo é forrar o fundo da caixa superior com as folhas secas e pequenos galhos ou serragem. Esta primeira camada vai funcionar como dreno para a composteira. Em seguida deve-se colocar a terra com minhocas e logo acima os resíduos orgânicos. É importante que os resíduos sejam cobertos com outra camada de folhas secas para contribuir com oxigenação.

Depois disso é só fechar a caixa e fazer depósitos diários até que ela seja preenchida. Assim que estiver completa basta passar essa caixa para baixo e subir uma vazia para recomeçar o processo. Não sendo necessário inserir novas minhocas. “Após três meses em média, já é possível coletar o húmus que pode ser utilizado como adubo. Na última caixa ficará acumulado o resíduo líquido orgânico. Diluído ele pode ser usado para regar plantas e hortas”, completa o especialista.

 
Página 4 de 214

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital