Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Geral

Geral

5 apps e plataformas que ajudam os pais a economizarem no Dia das Crianças

Na próxima quarta-feira, 12 de outubro, é comemorado o Dia das Crianças. Em tempos de crise econômica, a chegada do feriado causa arrepios em diversos pais, pois com o aperto no orçamento a missão de presentear os filhos fica um pouco mais complicada. A fim de auxiliá-los nos gastos com presentes, passeios e alimentação da criançada, selecionamos 5 aplicativos e plataformas indispensáveis para os pais economizarem na data especial.

Presentes
Para quem ainda não comprou o presente para o Dias das Crianças, no Cuponomia, portal que reúne cupons de desconto, é possível economizar até 25%. O site conta com cupons para as lojas online da Ri Happy, Carrefour e Netshoes, exclusivos  para a data. Para obter o desconto, os consumidores devem copiar o código do cupom, disponível em www.cuponomia.com.br/ofertas/dia-das-criancas, e inserir no campo indicado na finalização do pedido pelo site da loja. Os códigos promocionais  são válidos para compras até o dia 12 de outubro.

Passeio
Se a ideia é juntar as crianças para um bom passeio, o Peixe Urbano tem opções para todos os gostos. A plataforma reserva oportunidades desde jogos eletrônicos, como a Playland, passando por bateria de Kart, boliche ou teatro, até uma tradicional sessão de cinema para assistir o filme preferido. A empresa oferece aos seus usuários ofertas com mais de 60% de descontos. Disponível nas versões iOS e Android.

Almoço e jantar
Para quem deseja comer bem, mas não quer gastar com gasolina, estacionamento e taxa de serviço do restaurante na data especial, a solução é pedir comida de forma rápida e prática pelo PedidosJá. Por meio da plataforma, disponível para iOS, Android e Windows Phone, os pais podem solicitar o prato preferido da criançada em poucos cliques, sem necessidade de realizar ligações telefônicas. No total, são mais de 6.000 restaurantes, em 200 cidades brasileiras, disponíveis para receber as solicitações. Alguns estabelecimentos estão concedendo descontos de até 20% no valor total do pedido.

Roupas e calçados
Quem deseja fugir do clichê de presentear as crianças com brinquedos, videogames e aparelhos tecnológicos, tem a opção de comprar roupas e calçados. Um dos principais e-commerces de moda do país, a Dafiti está com uma campanha especial para o Dia das Crianças. O site reúne peças a partir de R$ 19,90. Acesse: www.dafiti.com.br/dia-das-criancas/.

Transporte
Se você vai ao shopping, parques ou locais movimentados e quer evitar a imensa procura por vagas no estacionamento, a melhor opção é ir por meio do Vá de Táxi. Disponível para Android e iOS, o app aceita pagamento com cartão de crédito direto pelo smartphone.

 

Você sabe porque seu filho se comporta diferente com a chegada de um irmãozinho?

A chegada de um irmãozinho pode causar nas crianças o medo de perder a atenção, e até mesmo, o amor dos pais. Por causa desses anseios, é muito comum que adotem atitudes mais regressivas, como voltar a usar fraldas, chupeta, chorar por qualquer motivo ou solicitar o colo dos pais com mais frequência. Crianças pequenas não sabem demonstrar seus sentimentos de forma clara e usam esses comportamentos como sinal de que precisam de amparo e ajuda para elaborarem essas transformações.

Juliana Martins, mãe, psicóloga e fundadora da BBDU, afirma “É importante, portanto, que os pais adotem uma postura de compreensão, diálogo, paciência e muito carinho. Este é o caminho para ajudar seu primogênito a lidar de uma forma mais equilibrada com a gestação e o nascimento do irmãozinho.”

Partindo dessa afirmativa, a BBDU desenvolveu o “Mural das Conquistas - A espera do irmãozinho”, que possibilita a criança um acompanhamento da gestação da mamãe e o crescimento do bebê, até o seu nascimento, funcionando como um calendário da gestação. “Inserir o filho mais velho nos acontecimentos relacionados à chegada do irmão menor fará com que ele não se sinta deixado em segundo plano”, explica Juliana.

Apesar de todo esse envolvimento, vale lembrar que crianças muito pequenas não têm a mesma noção de tempo que os adultos. Elas não conseguem compreender quanto falta para a chegada do irmãozinho e essas expectativas, muitas vezes ajudam a desorganização emocional das crianças. É nessa hora que o “Mural - à espera do irmãozinho” pode ajudar. “Outras atitudes como: ler algumas historinhas que falem de como nascem os bebês, ou assistir filmes que tratem do tema nascimento ou relacionamento entre irmãos, também são indicados”, completa a psicóloga.

De acordo com a profissional, se a criança apresentar maiores dificuldades para entender o desenvolvimento do bebê, mostre fotos e vídeos dela enquanto pequena, de modo que ela compreenda que também já passou por essas fases e cresceu.

 

Dia das Crianças: Estímulos visuais e sonoros dos games e o possível gatilho para uma crise epiléptica

No Brasil, o Dia das Crianças é comemorado oficialmente em 12 de outubro. Até pela sua origem, muitos pais mantém a tradição em presentear com brinquedos. Hoje em dia, os eletrônicos dominam a preferência, sobretudo os videogames, sonho de consumo da criançada, impulsionadas e movidas pela tecnologia. Mas cabe um alerta sobre os games, em dispositivos portáteis (Tablets e Smartphone), Smarts TVs ou consoles portáteis (Vita, 3DS, Game Boy Color, PSP): há estudos que apontam que estímulos sonoros, visuais ou até táteis podem ser o gatilho para as crises epilépticas, desde que haja predisposição genética. No entanto, segundo o neurocirurgião Luiz Daniel Cetl, ainda não se saiba a causa exata, o efeito de intensa luz intermitente pode interferir no cérebro, manifestar sintomas neurológicos agudos, como é o caso da epilepsia de tipo fotossensível, hoje sabidamente de origem genética.

Um caso de epilepsia de tipo fotossensível ocorreu em 1997, no Japão, durante um episódio do desenho animado da série Pokémon, o que chamou atenção de especialistas, do governo japonês e da produtora responsável pelo desenho. A cena tinha apenas cinco segundos, numa sequência de intensas luzes vermelhas e azuis emitida pelos olhos de um personagem. Foi o suficiente para provocar convulsões em 685 crianças japonesas.

Na época, cientistas italianos descreveram o caso na revista ‘Nature Neuroscience’ e indicaram que certos desenhos animados e videogames poderiam provocar o aumento dos casos de epilepsia associada à sensibilidade a estímulos luminosos. Segundo o estudo, as ativações por certos desenhos animados e videogames estariam associadas ao mecanismo cerebral que pode levar a convulsões. Pessoas sem o problema têm um aumento de atividade de 20% na área do cérebro relacionada à visão, quando são submetidas a variações bruscas de luz. Porém, crianças com epilepsia fotossensível chegam a ter um aumento de 90%, o que significa que seu cérebro fica sobrecarregado ao processar estímulos luminosos muito intensos e contrastantes. A epilepsia fotossensível pode afetar entre 0,5% e 0,8% de todas as crianças de 4 a 14 anos.

“A manifestação da epilepsia depende muito do foco de origem e, ainda que nada esteja definitivamente comprovado, casos como os que ocorreram com crianças japonesas podem ter relação com os estímulos sonoros, interferindo no cérebro e ocasionando crises. Por isso, é preciso bom senso dos pais para educar a criança em não extrapolar o tempo de uso dos jogos e demais aparelhos tecnológicos”, diz o especialista em epilepsia pela Universidade Federal de Medicina (UNIFESP).


Crises Epilépticas
De forma geral, a epilepsia é caracterizada como uma síndrome composta por um conjunto de sintomas que são originados de um grupo de neurônios disfuncionantes, que emitem sinais atípicos ou irregulares, sendo mais prevalente nas crianças. Entre os tipos de crises, a mais conhecida é a crise epiléptica, na qual o indivíduo perde a consciência e cai no chão, apresentando contrações musculares em todo o corpo. Outras manifestações da doença são a crise de ausência, a parada comportamental e, mais raro, o estado de mal epiléptico, cada uma delas com suas características específicas, dependendo da localização do foco epiléptico, de onde se originam as crises.

Na crise de ausência, caracterizada pela curta duração, de décimos de segundo, mas que pode se repetir mais de uma vez ao dia, muitas vezes nem mesmo pessoas próximas conseguem identificá-la. Na parada comportamental, crise parcial complexa e muito mais frequente, o paciente fica parado, com o olho arregalado, como se estivesse fora de si. Por último, o estado de mal epiléptico é o tipo mais grave, pois há uma ativação contínua dos neurônios desfuncionantes que emitem sinais atípicos ou irregulares, de maneira interrupta, podendo causar lesões cerebrais.

“Quando não tratada, a epilepsia interfere psicológica e socialmente na vida do paciente. Nas crianças, os efeitos sociais são maiores, pois envolvem a aprendizagem, as dificuldades escolares, o estigma social. A recomendação é sempre procurar um especialista quando o indivíduo apresenta algum sintoma”, completa Cetl.

Tratamento da Epilepsia
O tratamento convencional para a epilepsia é por via medicamentosa, com uso das chamadas drogas antiepilépticas (DAE), eficazes em cerca de 70% dos casos (há controle das crises) e com efeitos colaterais diminutos. Quando não há controle destes sintomas, outros tratamentos possíveis são a cirurgia e a estimulação do nervo vago. No entanto, apenas um profissional, analisando o caso, poderá indicar o tratamento apropriado para o paciente.

 

NUK cria termômetro que detecta a febre das crianças em poucos segundos

A febre pode ser decorrente de diversos fatores e, para muitos, o sintoma ainda deixa dúvidas como: Por que a febre? Quando procurar o pediatra? Febre é bom ou ruim para o organismo? Meu filho terá convulsões?

Muitas vezes esse aumento de temperatura pode pegar as mamães de surpresa e os modos tradicionais de se medir a febre ainda pode ser um incômodo para as crianças. E foi pensando nisso, que a NUK desenvolveu o Termômetro Digital com Infravermelho 2 em 1, que mede a temperatura por meio do ouvido e da têmpora, com resultados alcançados em cerca de quatro segundos. O termômetro mede a temperatura auricular e frontal, além de poder ser utilizado na medição de temperatura do ambiente e de superfícies, como por exemplo, de alimentos ou até da água do banho. Com design arrojado e funcional, o termômetro inclui bateria de lítio, base de apoio e os valores medidos são indicados pelo LED de controle.  A indicação de febre é feita por meio da luz vermelha, e a luz verde indica temperatura normal.

Com a ajuda do Dr. NUK (Dr. Marco Aurélio Safadi – CRM 54792), pode-se esclarecer alguns mitos e verdades sobre este aumento de temperatura no organismo.

Qual é a definição de febre?

A febre é definida como uma elevação na temperatura central do corpo, traduzindo uma resposta do organismo. Em condições normais a temperatura do corpo apresenta variações entre 0,5 °C a 1°C, sendo os menores valores medidos na madrugada e os maiores valores no final da tarde, com um valor médio de 36,5°C. A febre é considerada para valores acima de 37,5°C.

Quais são os riscos e benefícios da febre?

O aumento da temperatura melhora a resposta imune da criança, retardando o crescimento de vários vírus e bactérias. Sendo assim, podemos considerar a febre como uma resposta do nosso organismo e que deve ser tratada apenas em determinadas circunstâncias. Por exemplo, temperaturas acima de 38 °C ou 38,5°C, geralmente estão associadas ao desconforto, fazendo com que a redução da temperatura através da administração de antitérmicos, faça as crianças se sentirem melhor.

Quando devemos procurar o pediatra?

Mais importante que o grau da febre, é o estado geral da criança, ou seja, se a criança tem febre, mas está ativa, disposta e sorridente, é necessário observar. Entretanto, quando a criança com febre, mesmo que seja baixa, está abatida, gemente e não brinca, pode estar frente a um quadro mais sério e o pediatra deverá ser imediatamente avisado.

O banho morno pode ajudar?

Quando a febre aumenta, o banho com água morna pode ser realizado, entretanto, cabe reforçar que não se deve, em hipótese alguma, utilizar álcool ou água fria no banho. O álcool pode causar queimaduras na pele das crianças e a água fria pode provocar calafrios, piorando a sensação de desconforto.

Por que e quando ocorrem as convulsões por febre?

Em crianças de seis meses a cinco anos, existe um risco maior das chamadas crises convulsivas febris. É importante destacar que, a ocorrência destas crises está ligada a uma predisposição que algumas crianças apresentam, ou seja, o principal fator que determina o risco da crise não é o grau da temperatura, mas sim a presença desta predisposição. Portanto, algumas crianças podem ter o desencadeamento de uma crise com apenas 38 °C de temperatura e outras podem apresentar temperaturas elevadas, acima de 39,5 °C e nada ocorrer.

Preço de venda sugerido: R$ 209,90


Mais sobre a NUK: Presente no mercado desde 1956, a marca alemã NUK ajuda a promover o crescimento saudável dos bebês com produtos seguros, simples e que estimulem seu desenvolvimento. A marca está presente em mais de 110 países e trabalha com uma equipe de especialistas nas áreas de pediatria, odontologia, psicologia, nutrição e ciência para criar os melhores produtos para bebês no mundo todo.

A combinação da expertise médica da NUK e o conhecimento das mamães, maiores especialistas no assunto, faz com que os produtos sejam cuidadosamente projetados para estimular o desenvolvimento do bebê, com produtos modernos, inovadores, de fácil uso e excelente qualidade para auxiliar e beneficiar mães e bebês.

Acesse: www.nuk.com.br

Última atualização ( Ter, 04 de Outubro de 2016 17:12 )
 

Dispositivo de uso obrigatório no Brasil evita choques elétricos em crianças. Porém, não é utilizado na maioria das residências

Fio desencapado na boca, dedinho na tomada ou na geladeira: todas estas condições não causariam nenhuma morte caso os brasileiros cumprissem uma norma que torna obrigatório o uso de um aparelho chamado Dispositivo Diferencial Residual (DR).
Pequeno e quase imperceptível aos olhos dos leigos, o DR é nada mais que um protetor de vidas, utilizado nas instalações, que evita que a corrente elétrica cause um dano na pessoa que tocar a eletricidade.
O DR protege contra choques elétricos e apesar de ser de uso obrigatório desde 1997 (NBR 5410), sua exigência não é seguida na maioria das residências, principalmente em construções antigas que não foram modernizadas.
Com o DR 100% dos acidentes com eletricidade são evitáveis. “O dispositivo reconhece que por determinada fiação está vazando um percentual de corrente elétrica diferente do habitual, como no caso de uma criança colocando uma chave na tomada. Assim, o DR desarma os circuitos que estão ligados a ele interrompendo o choque elétrico”, explica o Engenheiro Eletricista Fábio Amaral, diretor da Engerey Painéis Elétricos.
Segundo registros da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), entre as principais vitimas de acidentes com eletricidade estão as crianças, com idade entre 0 e 5 anos.  Somente em 2015, foram 32 mortes no país, 50% a mais que em 2014, ano que registrou 20 mortes. Entre as principais causas estão justamente as tomadas sem proteção, os fios desencapados, extensões, e a fuga de corrente em eletrodomésticos (ventiladores, geladeiras e máquinas de lavar).
O Engenheiro Eletricista explica que a inclusão do DR é realizada no quadro de disjuntores da residência. É importante contratar uma empresa especializada para a fabricação e montagem do painel elétrico e um profissional habilitado para a sua instalação. “A inclusão é simples e rápida e garante maior segurança às famílias”, afirma.
Segundo Amaral é importante lembrar que o DR também protege as residências contra incêndios, que são ocasionados na maioria dos casos por curtos circuitos.
A NBR 5410, que determina o uso de DR, estará sendo debatida no Circuito Nacional do Setor Elétrico (CINASE 2016), na tentativa de esclarecer as determinações da regulamentação e elevar a conscientização a cerca do tema.
ESTATÍSTICAS
BRASIL
No Brasil foram registrados 590 acidentes envolvendo eletricidade, sendo que 250 destes se referem a choques fatais.
As residências estão no segundo lugar no ranking dos locais em que mais ocorrem acidentes. Foram 144 mortes em 2015, logo atrás das registradas na rede de distribuição elétrica, com 213 ocorrências.

Fio desencapado na boca, dedinho na tomada ou na geladeira: todas estas condições não causariam nenhuma morte caso os brasileiros cumprissem uma norma que torna obrigatório o uso de um aparelho chamado Dispositivo Diferencial Residual (DR).

Pequeno e quase imperceptível aos olhos dos leigos, o DR é nada mais que um protetor de vidas, utilizado nas instalações, que evita que a corrente elétrica cause um dano na pessoa que tocar a eletricidade.

O DR protege contra choques elétricos e apesar de ser de uso obrigatório desde 1997 (NBR 5410), sua exigência não é seguida na maioria das residências, principalmente em construções antigas que não foram modernizadas.

Com o DR 100% dos acidentes com eletricidade são evitáveis. “O dispositivo reconhece que por determinada fiação está vazando um percentual de corrente elétrica diferente do habitual, como no caso de uma criança colocando uma chave na tomada. Assim, o DR desarma os circuitos que estão ligados a ele interrompendo o choque elétrico”, explica o Engenheiro Eletricista Fábio Amaral, diretor da Engerey Painéis Elétricos.

Segundo registros da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), entre as principais vitimas de acidentes com eletricidade estão as crianças, com idade entre 0 e 5 anos.  Somente em 2015, foram 32 mortes no país, 50% a mais que em 2014, ano que registrou 20 mortes. Entre as principais causas estão justamente as tomadas sem proteção, os fios desencapados, extensões, e a fuga de corrente em eletrodomésticos (ventiladores, geladeiras e máquinas de lavar).

O Engenheiro Eletricista explica que a inclusão do DR é realizada no quadro de disjuntores da residência. É importante contratar uma empresa especializada para a fabricação e montagem do painel elétrico e um profissional habilitado para a sua instalação. “A inclusão é simples e rápida e garante maior segurança às famílias”, afirma.

Segundo Amaral é importante lembrar que o DR também protege as residências contra incêndios, que são ocasionados na maioria dos casos por curtos circuitos.

A NBR 5410, que determina o uso de DR, estará sendo debatida no Circuito Nacional do Setor Elétrico (CINASE 2016), na tentativa de esclarecer as determinações da regulamentação e elevar a conscientização a cerca do tema.

ESTATÍSTICAS


BRASIL


No Brasil foram registrados 590 acidentes envolvendo eletricidade, sendo que 250 destes se referem a choques fatais.

As residências estão no segundo lugar no ranking dos locais em que mais ocorrem acidentes. Foram 144 mortes em 2015, logo atrás das registradas na rede de distribuição elétrica, com 213 ocorrências.

 

Sofre de incontinência urinária? Pilates é um dos tratamentos mais eficazes

A incontinência urinária pode ocorrer em qualquer idade e ambos os sexos. No entanto, sua incidência é 3 vezes maior em mulheres, principalmente na pós-menopausa, onde um em cada três idosos sofrem do problema. Diferente do que muitos imaginam, a incontinência urinária, tem sua definição pela International Continence Society(ICS) como “queixa de qualquer perda involuntária de urina”. Ou seja, se você tossir e com isso escapar umas gotinhas de urina, pode ser indício de incontinência urinária, o que acarreta em muitas pessoas desenvolverem o problema e não saberem.

A incontinência urinária (IU) afeta a qualidade de vida, compromete o bem estar físico, emocional, psicológico, social e até mesmo sexual. Além de poder acarretar em perda da autoestima, constrangimento, isolamento social e até mesmo depressão. Segundo a Fisioterapeuta e Mestre em Educação Física, Ana Gil, o Pilates é uma das formas de amenizar os sintomas da IU “O Pilates trabalha o corpo de forma global, oferece diversos benefícios e proporciona o condicionamento físico de forma bem ampla”, explica.

“Dentre esses benefícios está o fortalecimento do Core: um conjunto de músculos que envolvem a nossa lombar e pelve internamente e possuem a função de estabilizar a região lombo-pélvica. O fortalecimento desses músculos é uma forte ferramenta para o tratamento da incontinência urinária, principalmente em mulheres, visto que os músculos do períneo ou assoalho pélvico fazem parte desse grupo muscular”, completa a especialista.

De acordo com a fisioterapeuta, diretora do Espaço Ana Gil, ao menor sinal, o ideal é a procura de auxílio médico e avaliação de qual tipo e em qual nível se encontra, para assim, haver a indicação ideal do tratamento para cada caso “Os tratamentos podem envolver medicamentos, fisioterapia uroginecológica, exercícios físicos e até cirurgia, dependendo da gravidade do caso. E diversos estudos científicos comprovam a eficácia do método Pilates tanto na prevenção quanto no tratamento de incontinência urinária já instalada”, comenta.

Ana Gil diz que em sua clínica as aulas de Pilates são complementadas com exercícios de Treinamento Funcional, método que também trabalha o fortalecimento do Core “Há pouco tempo, uma aluna da clínica relatou que após 3 meses de Pilates, ela já não precisava levantar 5 vezes para urinar e conseguia dormir praticamente a noite toda. Com o assoalho pélvico fortalecido, é notório a melhora do quadro em poucos meses. Reduz o volume de urina durante a noite, melhora o controle miccional e até a qualidade sexual”, finaliza a profissional.

Serviço: Espaço Ana Gil, clínica é de Fisioterapia, Estética e Pilates e se localiza na Barra da Tijuca.

 
Página 9 de 212

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital